Maia afirma que cultura do ódio e do racismo precisa ser combatida

Presidente da Câmara se manifestou nas redes sociais sobre morte de negro em supermercado. Davi Alcolumbre lembrou o racismo estrutural

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia

Jornal de Brasília

Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), manifestaram-se nesta sexta-feira (20), Dia da Consciência Negra, sobre a morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, em um supermercado de Porto Alegre (RS). João, que era negro, foi espancado por seguranças de uma unidade do Carrefour. 

"A cultura do ódio e do racismo deve ser combatida na origem, e todo peso da lei deve ser usado para punir quem promove o ódio e o racismo", afirmou Maia. 

Alcolumbre também falou em racismo. Ele afirmou que o caso "estarrece e escancara a necessidade de lutar contra o terrível racismo estrutural que corrói nossa sociedade."

Pretos e pardos são 77% entre pessoas com menor renda, diz IBGE

A morte de João Alberto Silveira Freitas provoca reações em autoridades de todo o país. Ministros do STF também condenaram o ato e falaram em racismo estrutural.