Brasil Movimentos de caminhoneiros confirmam paralisação amanhã

Movimentos de caminhoneiros confirmam paralisação amanhã

Uma das entidades envolvidas na pauta de reivindicações prevê que 800 mil motoristas devem cruzar os braços em todo o país

  • Brasil | Do R7, com Agência Record

Caminhoneiros devem fazer protestos em importantes rodovias do país

Caminhoneiros devem fazer protestos em importantes rodovias do país

Miguel Noronha/Futura Press/Estadão Conteúdo - 29.1.2021

Duas entidades representativas de caminhoneiros confirmaram a paralisação da categoria prevista para esta segunda-feira (1º) em todo o país. O movimento é em protesto contra o alto preço do diesel, segundo os organizadores.

O CNTRC (Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas) diz ter encaminhado a vários órgãos da administração pública ofícios informando sobre os protestos em rodovias.

O presidente do CNTRC, Plínio Dias, afirmou ontem em vídeo nas redes sociais que não haverá fechamento total de rodovias e que o trânsito de caminhões de serviços essenciais será liberado, assim como ônibus e carros de passeio.

A CNTTL (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística) também integra o movimento e prevê que cerca de 800 mil caminhoneiros devem participar dos atos na segunda-feira.

Concessionárias de rodovias foram à Justiça nos últimos dias e garantiram liminares que proíbem qualquer tipo de ato nos trechos administrados por ela.

Na sexta-feira (29),  uma juíza da 2ª Vara do Fórum de Santa Isabel (SP), atendeu a um pedido da concessionária Nova Dutra e determinou multa para quem organizar atos na BR-116 entre São Paulo e Rio de Janeiro.

A autuação pode ser de R$ 10 mil em caso de pessoa física e de até R$ 100 mil se envolver pessoa jurídica.

Já na Regis Bittencourt, que liga São Paulo a Curitiba, a multa diária é de R$ 2.000,00 em caso de paralisação, "de cada um dos adeptos do movimento e dos organizadores que forem identificados como responsáveis pelo evento", de acordo com decisão judicial.

O presidente Jair Bolsonaro chegou a pedir aos caminhoneiros para que não fizessem o ato.

"Fiz apelo aos caminhoneiros. Sabemos dos problemas deles. Se tivesse condições, zeraria PIS/Cofins óleo diesel, que está em R$ 0,33, mas vamos tentar zerar pelo menos, mas não é fácil", disse no sábado (30), após passear de moto em Brasília.

Últimas