MPF denuncia cinco por fraude em fundo de funcionários da Caixa

Força-tarefa Greenfield vê prejuízo de R$ 48 milhões por investimentos que teriam favorecido o Grupo Odebrecht

Fachada de prédio da Caixa Econômica Federal

Fachada de prédio da Caixa Econômica Federal

Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Ministério Público Federal no Distrito Federal denunciou nesta quinta-feira (21) cinco pessoas acusadas de causarem prejuízo de pelo menos cerca de R$ 48 milhões à Funcef (Fundação dos Economiários Federais), um fundo de pensão que gerencia a previdência complementar dos funcionários da Caixa Econômica Federal. 

A denúncia foi feita pelo MPF no Distrito Federal, dentro da Força-Tarefa Greenfield.

Segundo a Promotoria, o Grupo Odebrecht foi beneficiado no esquema. Os procuradores pedem, além da condenação dos investigados, o triplo do montante indevidamente aplicado, como forma de reparação do dano social, moral e econômico das vítimas. Em cifras atualizadas, isso significa quase R$ 259 milhões.

Caixa já pagou R$ 49,9 bilhões em auxílio emergencial, aponta balanço

As irregularidades remetem aos anos de 2012 e 2014. No período, três diretores da Funcef, o presidente da Odebrecht Ambiental e um sócio da Voga Empreendimentos e Participações atuaram para que a fundação realizasse aporte de R$ 300 milhões no FIP Operações Industriais. Esse fundo foi criado apenas para injetar investimentos na Odebrecht Utilities, que seria criada a partir de parte das operações da Odebrecht Ambiental. Já a Voga foi a empresa responsável por produzir um laudo de avaliação econômica – com várias inconsistências nos cálculos – que justificou tecnicamente a realização da manobra.

A estratégia utilizada no crime consistiu basicamente em superestimar o valor dos ativos da Odebrecht Utilities (divisão de operações industriais da Odebrecht Ambiental) para que a Funcef arcasse com quantias maiores do que o necessário para adquirir a participação acionária que comprou no FIP.

Os denunciados foram: 

- Carlos Augusto Borges, diretor de participações societárias e imobiliárias da Funcef
- Carlos Alberto Caser, diretor-presidente da Funcef
- Samuel Augusto de Oliveira Filho, sócio-administrador da Voga Empreendimentos
- Maurício Marcellini Pereira, diretor de investimentos da Funcef;
- Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis, presidente da Odebrecht Ambiental

 A Funcef informou nesta quinta que não irá se manifestar. O R7 fez contato com a Odebrecht e aguarda possível manifestação e não conseguiu localizar representantes da Voga Empreendimentos.