Brasil Rabello de Castro retira candidatura para ser vice de Alvaro Dias

Rabello de Castro retira candidatura para ser vice de Alvaro Dias

Anúncio foi feito pelo presidente do PSC, Pastor Everaldo. Alvaro Dias disse que a composição agrega qualificação técnica à chapa

Alvaro Dias terá Paulo Rabello de Castro como vice

Alvaro Dias terá Paulo Rabello de Castro como vice

Pedro França/Agência Senado

Depois de se reunirem por cerca de uma hora na sede do PSC em Brasília, o partido anunciou a formação da chapa com Alvaro Dias (Podemos) como pré-candidato à Presidência da República e Paulo Rabello (PSC) vice.

"Rabello apresentou uma carta ao partido solicitando que ele fosse liberado da candidatura de presidente para compor uma chapa de vice com o senador", disse o presidente do PSC, pastor Everaldo.

Ele disse que com essa carta em mãos a executiva do partido se reuniu nesta quarta-feira (1) e depois de um longo debate sobre os programas que defendem em conjunto ficou acertada a aliança.

"Quero manifestar a alegria que é ter na minha chapa o economista do ano", disse Alvaro Dias logo após o anúncio. Ele disse que ele agrega a composição política da chapa a qualificação técnica que é "indispensável para as mudanças que o País precisa no momento", disse. Dias afirmou que houve demora para escolher porque havia mais de um nome sendo estudado. Ele não disse quais eram outros nomes.

O senador falou também que segue conversando com outros partidos para compor a coligação. Ele disse que o PRP anunciou apoio hoje. "Com certeza até o fim de semana agregaremos outros dois partidos". O PROS é uma possibilidade.

Dias disse que há convergência entre as propostas dos partidos e que não houve problema em realizar a aliança.

O ex-presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), por sua vez, falou que o Brasil é hoje "um país que não sabe voar direito" sem piloto certificado. "Este é o início da refundação da república", disse. "Estamos dando o primeiro passo para acabar com a picaretagem na política brasileira", disse.

Últimas