Brasil Reverendo apresenta atestado para não depor na CPI da Covid

Reverendo apresenta atestado para não depor na CPI da Covid

Amilton Gomes de Paula informou "impossibilidade momentânea" de comparecer à sessão de quarta-feira (14) do Senado

  • Brasil | Do R7

Senadores Randolfe Rodrigues, Omar Aziz e Renan Calheiros, em sessão da CPI

Senadores Randolfe Rodrigues, Omar Aziz e Renan Calheiros, em sessão da CPI

Marcos Oliveira/Agência Senado-08/07/2021

Com depoimento à CPI da Covid marcado para esta quarta-feira (14), o reverendo Amilton Gomes de Paula apresentou nesta segunda (12) à presidência do colegiado um atestado médico informando da "impossibilidade momentânea" de comparecer ao Senado.

Leia também: Ricardo Barros volta a pedir ao STF para CPI antecipar seu depoimento

O religioso é presidente da Senah (Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários) e, segundo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), negociou a contratação de 400 milhões de doses da vacina contra a covid-19 da AstraZeneca em nome do governo brasileiro com o aval do ex-diretor do Departamento de Imunização do Ministério da Saúde, Laurício Monteiro Cruz.

O comando da CPI ainda não informou se irá aceitar o atestado do reverendo e mudar o cronograma de oitivas planejadas para esta semana.

A próxima reunião da CPI da Covid no Senado será nesta terça-feira (13) para ouvir o depoimento de Emanuela Medrades, diretora técnica da Precisa Medicamentos, empresa que teria feito intermediação nas negociações para compra da vacina Covaxin.

Leia também: Entenda as suspeitas relacionadas à compra da vacina Covaxin

Na quarta-feira (14), estava previsto o reverendo Amilton Gomes de Paula, na quinta-feira (15), o coronel Marcelo Blanco, ex-diretor-substituto de logística do Ministério da Saúde e, na sexta (16), Cristiano Carvalho, representante oficial da empresa Davati Medical Supply no Brasil.

O líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (Progressistas-PR), teve o depoimento marcado para o dia 20. Com oitiva desmarcada na semana passada, Barros chegou a recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal) para ser ouvido, após denúncias de irregularidades em contrato de compra da vacina indiana Covaxin pelo Ministério da Saúde envolverem seu nome.

Veja a agenda da CPI nos próximos dias

Terça-feira (13) - Emanuellle Medrades
Quarta-feira (14) - Reverendo Amilton Gomes de Paula
Quinta-feira (15) - Coronel Marcelo Blanco
Sexta-feira (16) - Cristiano Carvalho (Davati)
Terça-feira (20) - Deputado federal Ricardo Barros

Últimas