Brasil Thomaz Alckmin não era o copiloto, esclarece empresa

Thomaz Alckmin não era o copiloto, esclarece empresa

Em nota oficial, Seripatri confirma que filho do governador subiu a convite do piloto

Thomaz Alckmin não era o copiloto, esclarece empresa

Reprodução/ Rede Record

A Seripatri, empresa responsável pelo helicóptero que caiu nesta quinta-feira (2) e vitimou o filho do governador Geraldo Alckmin, Thomaz Rodrigues Alckmin, esclareceu que ele não estava como copiloto no momento do acidente e sim como convidado do piloto e tripulante, pois o modelo da aeronave 'Single pilot' não possui espaço para um auxiliar do piloto.

Em nota, a empresa informou que, além de Thomaz Alckmin, o acidente vitimou o piloto Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves, de 53, com mais de 30 anos de experiência, e o mecânico Paulo Henrique Moraes, 42, ambos funcionários da empresa. Havia ainda outros dois ocupantes: Erick Martinho, 36, e Leandro Souza, 34, mecânicos da Helipark, responsável pela manutenção dos modelos.

Segundo a empresa, o acidente ocorreu durante voo de teste, após a aeronave passar por manutenção preventiva. A nota oficial diz que "o helicóptero, da marca Eurocopter, modelo EC 155, prefixo PPLLS, tinha cerca de quatro anos de uso, com aproximadamente 600 horas de voo e estava com sua documentação e manutenção rigorosamente em ordem". A Seripatri prestou condolências a todas as famílias das vítimas no texto.

Leia também
Corpo do filho do governador Geraldo Alckmin é velado em São Paulo