Brasília Após ação do MPDFT, Polícia Civil suspende concurso para agente

Após ação do MPDFT, Polícia Civil suspende concurso para agente

Órgão encontrou falhas na reserva de vagas a candidatos negros; certame prevê contratação de 2,1 mil agentes e escrivães

  • Brasília | Karla Beatryz*, do R7, em Brasília

Sede da PCDF; concurso foi suspenso após determinação do MPDFT

Sede da PCDF; concurso foi suspenso após determinação do MPDFT

Arnon Gonçalves/Sinpol-DF

A Polícia Civil do Distrito Federal suspendeu, nesta segunda-feira (8), o concurso para agentes e escrivães da corporação, que teve as provas objetivas realizadas em agosto último. A interrupção no certame atende a um pedido do Ministério Público do DF e Territórios, que apontou falha no processo para reserva das vagas para candidatos negros.

A decisão do MP ocorreu na última sexta-feira (5). Segundo o órgão ministerial, os candidatos foram prejudicados porque os 20% das vagas para negros e negras, que deveriam ser observadas ao longo do processo, só foram reservadas após o resultado final. Essa suposta falha prejudica os candidatos, segundo o Ministério Público, que deu 72 horas para que a PM e o Cebraspe, banca organizadora do concurso, se manifestassem.

O R7 procurou a PCDF para comentar o assunto, mas não recebeu resposta até a publicação desta reportagem. O Cebraspe informou que "cumpre a legislação referente à matéria e que se manifestará nos autos do processo".

O concurso para agentes e escrivães da Polícia Civil do DF deveria ter sido realizado em março de 2020, mas foi adiado devido à pandemia de Covid-19. O certame é considerado um dos maiores da PCDF. Foram 88.894 mil inscrições para o cargo de agente e 52.636 para escrivão, segundo o Cebraspe. São 2,1 mil vagas para nível superior (para agente), sendo 600 para provimento imediato e 1,2 mil para formação de cadastro reserva. O salário é de R$ 8.698,78 e a carga horária é de 40 horas semanais.

No dia da prova objetiva para o cargo de agente, em 22 de agosto, houve atraso no início da avaliação por falta de equipe para aplicar os exames. A demora ocorreu em três escolas: Marista, na Asa Norte; Sigma, na Asa Sul, e Centro de Ensino Fundamental 6 (CEF 6), do Lago Sul.

O Cebraspe confirmou que o atraso "decorreu do não comparecimento de parte da equipe alocada para apoiar na realização das provas". "O tempo de atraso será compensado ao final, preservando-se a isonomia do concurso. O Centro esclarece, ainda, que a realização de concursos públicos está sujeita a intercorrências e que as equipes reservas existem justamente para suprir eventuais ausências injustificadas de colaboradores, como no caso", justificou.

*Estagiária sob supervisão de Fausto Carneiro.

Últimas