Brasília Bebê sufocado: responsável pela creche tem prisão decretada 

Bebê sufocado: responsável pela creche tem prisão decretada 

Creche onde bebê de seis meses morreu por asfixia está fechada para a realização da perícia no local

Caso é investigado pela 31ª Delegacia de Polícia em Planaltina

Caso é investigado pela 31ª Delegacia de Polícia em Planaltina

Luiz Calcagno/R7

A 31ª Delegacia de Polícia lavrou na noite de quinta-feira (21) o auto de prisão em flagrante de uma das responsáveis pela creche onde uma bebê de seis meses morreu sufocada na quarta-feira (20).  Segundo a polícia o local não tem a estrutura adequada pela quantidade de crianças. O Conselho Tutelar de Planaltina foi acionado para verificar se há indícios de maus tratos.

O caso aconteceu na tarde de quarta-feira (20), mas só chegou à polícia na quinta (21). A creche, segundo o GDF, não tinha licença para funcionar. A reportagem conversou com o advogado das testemunhas. Segundo ele, as mulheres não tinham acesso à sala onde os bebês com menos de 1 ano ficavam, mas receberam mensagens da proprietária questionando o que elas teriam feito.

Elas afirmaram, porém, que entraram no cômodo quando a bebê estava desacordada para levá-la para o Hospital Regional de Planaltina. Aos pais da criança, as proprietárias disseram que o bebê teria engasgado. Médicos ainda tentaram reanimar a criança.  O caso é investigado pela 31ª Delegacia de Polícia (Planaltina). O R7 tentou falar com as proprietárias da creche por telefone, mas não houve retorno.

Sem licença

Por meio de nota,  a Secretaria de Educação informou que a creche não é cadastrada na pasta. "A Administração Regional de Planaltina informa que  a empresa deu entrada ao pedido de licença de funcionamento em 2020, mas não finalizou a documentação solicitada e, por isso, não obteve a licença", diz o texto.

Ainda de acordo com a secretaria de Comunicação do GDF, o estabelecimento entrou com pedido de licenciamento, "faltando as autorizações por parte da Vigilância Sanitária e da Secretaria de Educação". Apesar disso,  não havia registro de reclamações sobre o local no DF Legal.

O DF Legal vai enviar uma equipe ao endereço, que "não deveria ter iniciado suas atividades sem todas as licenças válidas". "A recomendação da Secretaria de Educação é de que os pais ou responsáveis, antes de efetivarem a matrícula, sempre verifiquem se a unidade educacional está em situação regular junto à Secretaria, o que pode ser feito no próprio site da pasta", alertou o governo.

Últimas