Brasília Bolsonaro diz que Petrobras não pode visar 'exclusivamente ao lucro'

Bolsonaro diz que Petrobras não pode visar 'exclusivamente ao lucro'

Presidente voltou a criticar o aumento no valor dos combustíveis imposto pela Petrobras

  • Brasília | Hellen Leite e Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Presidente disse que ficou insatisfeito com o aumento no valor dos combustíveis

Presidente disse que ficou insatisfeito com o aumento no valor dos combustíveis

Isac Nóbrega / PR /22.02.2022

O presidente Jair Bolsonaro (PL) criticou a política de preços da Petrobras e disse que a empresa não pode trabalhar "exclusivamente visando ao lucro" no momento em que o mundo enfrenta uma crise de combustíveis. Na quinta-feira (10), a Petrobras anunciou aumento de 18,8% no valor da gasolina e 24,9% no valor do diesel, reflexo da instabilidade no mercado internacional com o conflito entre Rússia e Ucrânia.

"Lá atrás fizeram a paridade com preço internacional e estamos respeitando. Se tiver que mudar, a Petrobras vai apresentar uma proposta. Agora, não pode trabalhar exclusivamente visando ao lucro em um mundo em crise e com preço do combustível bastante alto no Brasil", disse o presidente na saída do evento de filiação de aliados ao PL, neste sábado (12).

Leia também: Com novo reajuste, gasolina aditivada chega a R$ 9,50 no DF

"Esse atrelamento [ao preço internacional do petróleo] é bom para o mercado, para os acionistas, mas é péssimo para o consumidor brasileiro. São coisas sensíveis que eu não posso decidir sem ouvir as pessoas adequadas", ressaltou.

Na sexta-feira (11), Bolsonaro sancionou o projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional que altera a forma de cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre combustíveis. Com a nova legislação, a alíquota do ICMS na comercialização de gasolina, etanol, diesel, biodiesel, gás de cozinha e derivado de gás natural será cobrada sobre o valor fixo por litro, e não pelo preço do produto.

"Em uma emergência temporal, até que a questão se restabeleça lá fora, o governo dá uma ajuda pelo lado de cá. Mas isso passa pela palavra final do ministro da economia", finalizou Bolsonaro.

Caminhoneiros

O presidente comentou também que ainda não conversou com representantes dos caminhoneiros após o reajuste nos combustíveis, mas disse estar ciente que a categoria "está chateada" com o aumento. 

"Tem muito caminhoneiro que fala em greve. Lamento. Espero que não haja. Peço a compreensão deles. Realmente é insuportável isso que está acontecendo. Nós temos que ter sensibilidade", comentou

Últimas