Eleições 2022

Brasília Bolsonaro rebate post de Leonardo DiCaprio em rede social

Bolsonaro rebate post de Leonardo DiCaprio em rede social

Ator americano pediu aos jovens brasileiros que votem nas eleições para 'impulsionar mudança para um planeta saudável'

  • Brasília | Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Ator Leonardo DiCaprio

Ator Leonardo DiCaprio

Eric Gaillard/Reuters - 09.02.2020

O presidente Jair Bolsonaro respondeu a uma postagem do ator americano Leonardo DiCaprio nesta sexta-feira (29). O ator fazia um apelo aos jovens brasileiros para que votem nas próximas eleições para impulsionar o que chamou de mudança para um planeta saudável.

Em resposta, o presidente agradeceu e disse que "é muito importante ter todos os brasileiros votando nas próximas eleições". Bolsonaro afirmou que o povo brasileiro decidirá "se quer manter a soberania na Amazônia ou ser governado por bandidos que servem a interesses especiais estrangeiros".

Veja o post:

Não é a primeira vez que Bolsonaro e DiCaprio trocam acusações e ironias. Em novembro de 2019, o presidente disse que o ator estava pagando para promover queimadas na Amazônia. "Agora, Leonardo Dicaprio é um cara legal, né? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia", declarou o presidente a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

Bolsonaro também ironizou suspeitas sobre o envolvimento de ONGs em incêndios na região. "Quando eu falei que há suspeita de ONGs, o que a imprensa fez comigo?", afirmou o presidente, se dirigindo a jornalistas presentes.

As declarações de Bolsonaro foram feitas após uma apoiadora afirmar: "Os índios em Altamira (PA) falam francês. Lá o fogo foi criminoso".

Bolsonaro já tinha ligado o ator às queimadas na floresta durante transmissão nas redes sociais. "Tira foto, manda para ONG, a ONG divulga, entra em contato com o Leonardo DiCaprio e ele doa US$ 500 mil para essa ONG. Leonardo DiCaprio, você está colaborando com as queimadas na Amazônia", afirmou.

As acusações de Bolsonaro na época faziam referência a uma operação da Polícia Civil que prendeu quatro pessoas ligadas a ONGs que desenvolviam atividades em Alter do Chão, em Santarém, no Pará. Eles foram soltos alguns dias depois. 

Últimas