Brasília Cães de raça são resgatados de canil clandestino no DF

Cães de raça são resgatados de canil clandestino no DF

Animais eram usados para reprodução e venda; devido às condições, um dos cães foi atacado e morto pelos outros 

  • Brasília | Karla Beatryz*, do R7, em Brasília

Canil clandestino no DF

Canil clandestino no DF

Arquivo Pessoal

Um canil clandestino foi desativado pela Polícia Civil, no fim da tarde deste domingo (16), em São Sebastião, no Distrito Federal. No local foram encontrados diversos cachorros, que eram usados para reprodução e venda. Por causa da situação insalubre, uma das cadelas foi atacada e morta pelos outros cães.

Na casa, não havia comida nem água para os animais. De acordo com a advogada e vice-presidente da Comissão de Direito dos Animais de Taguatinga, Ana Paula de Vasconcelos, vizinhos relatavam que o local funcionava havia poucos meses na residência. Anteriormente, o canil operava em outra casa e já tinha sido denunciado.

Há semanas os moradores tentavam alimentar os cães, passando comida e água por baixo do portão. No local, foram resgatados três cachorros da raça chow-chow, um casal de amstaff e dois da raça husky siberiano.

Um dos cães, uma fêmea da raça husky siberiano, estava morto quando os policiais entraram no local. Segundo testemunhas, a cadela estava sendo atacada pelos outros cães desde o último sábado (15).

Os dois cães da raça husky, que ficavam na parte de trás da casa, estavam em pior estado, pois não tinham acesso à comida e à água que os moradores levavam. Durante o resgate, um homem de 28 anos se identificou como o responsável pelos animais e informou que o dono do canil estava viajando. Ele foi preso em flagrante.

Todos os cães estavam desidratados e com infecção urinária. Eles foram encaminhados para atendimento veterinário.

Os cães resgatados foram encaminhados para atendimento veterinário

Os cães resgatados foram encaminhados para atendimento veterinário

Arquivo Pessoal

A ocorrência foi feita por Ana Paula de Vasconcelos, que será a fiel depositária dos cães. Segundo a advogada, o processo irá para a Justiça para o tutor perder a guarda dos animais e responder pelo crime de maus-tratos.

Ana Paula explica que os animais só podem ser adotados após o fim do processo judicial, porém, no decorrer do caso, lares provisórios estão sendo providenciados. “Estamos à procura de um lar temporário, para oferecer o amor, o carinho e o cuidado que eles nunca tiveram”, conta.

O crime foi registrado na 30ª Delegacia de Polícia (São Sebastião). As denúncias de maus-tratos a animais podem ser feitas na Dema (Delegacia Especial de Proteção ao Meio Ambiente) pelo telefone 197, pelo WhastApp (61) 98626-1197 ou pelo email denuncia197@pcdf.df.gov.br.

*Estagiária, sob supervisão de Fausto Carneiro.

Últimas