Brasília Carros usados por suspeitos de chacina de família passam por perícia no DF

Carros usados por suspeitos de chacina de família passam por perícia no DF

Polícia busca vestígios para entender a dinâmica dos crimes e a participação dos acusados

  • Brasília | Renato Souza, do R7, em Brasília

Integrantes da família

Integrantes da família

Arte/Record TV

Os carros usados pelos suspeitos de participação nas mortes da cabeleireira Elizamar da Silva, 39 anos, e da família dela no Distrito Federal passaram por perícia. Investigadores da Polícia Civil querem entender a dinâmica dos crimes e como os automóveis foram usados.

Foram recolhidos materiais biológicos, como impressões digitais, fios de cabelo e outras amostras que podem ajudar a entender o que de fato ocorreu. Foram periciados um Renault e um Peugeot que já estavam apreendidos; outro veículo ainda será vistoriado.

O Renault foi utilizado pelo suspeito Gideon Batista de Menezes, que aparece em câmeras de segurança comprando combustível em um posto de gasolina no dia em que Elizamar e os filhos teriam sido mortos.

Já o Pegeout teria sido usado por Fabricio Silva Canhedo para se deslocar até o Vale do Sol, em Planaltina, local em que estava o cativeiro em que eram mantidas como reféns Renata Juliene Belchior e Gabriela Belchior de Oliveira, sogra e cunhada da cabeleleira.

Na noite de quinta-feira (19), foi confirmado pela Polícia Civil de Goiás que os corpos carbonizados encontrados em um carro em Cristalina (GO), no Entorno do DF, são da cabelereira Elizamar da Silva, e dos filhos dela Gabriel, Rafael e Rafaela, todos menores de idade.

A Polícia Civil aguarda o resultado da identificação dos dois corpos carbonizado encontrados  em Unaí (MG), também no Entorno. Três pessoas continuam desaparecidas.

Últimas