Brasília Com a escolha de ministros, cinco suplentes devem assumir na Câmara e no Senado

Com a escolha de ministros, cinco suplentes devem assumir na Câmara e no Senado

Alexandre Padilha, Camilo Santana, Wellington Dias, Luiz Marinho e Flávio Dino são alguns dos eleitos indicados para ministérios

  • Brasília | Giovana Cardoso, do R7, em Brasília

Presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante anúncio de novos ministros

Presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante anúncio de novos ministros

Plínio Aguiar/ R7

Pelo menos cinco suplentes vão assumir como senador e deputado após o anúncio dos nomes escolhidos para compor alguns dos ministérios feito pelo presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva nesta quinta-feira (22).

Alexandre Padilha, Camilo Santana, Wellington Dias, Luiz Marinho e Flávio Dino são alguns dos confirmados que foram eleitos nas eleições deste ano. Quando assumirem o cargo na Esplanada, novos nomes vão para as bancadas do Senado e Câmara.

No caso do senador eleito pelo Ceará Camilo Santana, indicado para o Ministério da Educação, a suplente Augusta Brito (PT) vai assumir o cargo. Ana Paula Lobato (PSB) fica no lugar de Flávio Dino, senador eleito pelo Maranhão e indicado para o Ministério da Justiça. Wellington Dias, próximo ministro do Desenvolvimento Social e eleito senador pelo Piauí, tem Jussara Lima (PSD) como suplente.

Na Câmara dos Deputados, Alexandre Padilha e Luiz Marinho, ambos deputados federais eleitos por São Paulo, fazem parte da federação Brasil da Esperança e têm como suplentes Alfredinho (PT) e Orlando Silva (PCdoB), respectivamente.

O vice-presidente eleito Geraldo Alckmin será o ministro da Indústria e do Comércio, mas continua no cargo.

Suplência

Na Câmara dos Deputados, os suplentes que assumem o cargo são os candidatos mais bem votados do partido ou da coligação, depois dos que foram eleitos. No caso dos senadores, os suplentes são escolhidos previamente.

Últimas