Brasília Com dois feminicídios no fim de semana, DF ultrapassa em 6 meses número de casos do ano passado

Com dois feminicídios no fim de semana, DF ultrapassa em 6 meses número de casos do ano passado

Emilly Thalita, de 20 anos, foi morta a facadas pelo ex-companheiro; outra mulher foi estrangulada em São Sebastião

  • Brasília | Rafaela Soares, do R7, em Brasília

DF já registrou 18 feminicídios em 2023

DF já registrou 18 feminicídios em 2023

Foto: Elza Fiúza/Agência Brasília

O Distrito Federal já registrou 18 casos de feminicídio nos seis primeiros meses de 2023, superando as ocorrências de todo o ano passado — 17. Neste fim de semana, duas mulheres foram mortas — Emilly Thalita Nascimento, de 20 anos, foi esfaqueada nas costas pelo ex-companheiro no Sol Nascente, neste sábado (24); e uma vendedora autônoma de 47 anos foi estrangulada enquanto dormia, em São Sebastião, no domingo (25).

No primeiro caso, a vítima estava comemorando o aniversário em um estabelecimento próximo de casa, quando Jonas Costa, 29 anos, chegou ao local. A confusão teria começado quando ela se negou a passar a noite com o suspeito, que, diante da negativa, esfaqueou a mulher com um golpe nas costas. O homem, que tinha antecedentes criminais, está foragido. 

Já em São Sebastião, o companheiro da mulher acionou a polícia e relatou aos policiais que a vítima teria morrido enquanto dormia. Porém, após exames periciais, foram constatados sinais de estrangulamento. O homem foi preso em flagrante, mas disse não se lembrar de nada. O casal tinha uma relação de dois anos, e, segundo familiares, o homem era agressivo. 

Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram

18 feminicídios em seis meses

Com os dois casos, o DF alcançou a marca de 18 feminicídios em seis meses, superando o número total de casos registrados em 2022. O ano de 2019 foi o que mais registrou ocorrências — 28 — desde a publicação da lei, em 2015.

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do DF, os principais motivos dos crimes são o sentimento de posse/ciúmes, seguido pela não aceitação do término dos relacionamentos. Além disso, 58% das mulheres tinham medidas protetivas em vigência na data dos fatos.

Leia mais: 58% das vítimas de feminicídio no DF tinham medida protetiva vigente, afirma relatório

As denúncias sobre o paradeiro de Jonas Costa podem ser feitas pelo telefone 197, com o anonimato garantido.

Últimas