Brasília Corregedor do TSE pede ao Supremo dados das digitais encontradas na minuta do golpe 

Corregedor do TSE pede ao Supremo dados das digitais encontradas na minuta do golpe 

Documento com o enredo para um golpe de Estado foi encontrado na casa do ex-secretário de Segurança do DF Anderson Torres

  • Brasília | Gabriela Coelho, do R7, em Brasília

Corregedor da Justiça Eleitoral, ministro Benedito Goncalves

Corregedor da Justiça Eleitoral, ministro Benedito Goncalves

Foto: Antonio Augusto/Secom/TSE

O corregedor da Justiça Eleitoral, ministro Benedito Gonçalves, pediu ao presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, o compartilhamento dos dados de pessoas que tiveram as digitais registradas na minuta de golpe encontrada na casa do ex-secretário de Segurança do Distrito Federal e ex-ministro da Justiça, Anderson Torres.

Goncalves também determinou a realização, em 23 de março, da audiência de oitiva do ex-deputado Major Vítor Hugo (PL-GO) e do deputado Filipe Barros (PL-PR). Eles participaram de uma live na qual o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) mostrou um inquérito da Polícia Federal sobre supostos ataques ao sistema eleitoral em 2018.

O ministro analisou um pedido feito pela defesa do ex-presidente que quer ter acesso aos nomes das pessoas cujas impressões digitais teriam sido encontradas na minuta, além dos termos dos depoimentos prestados por Torres. 

“A metodologia aplicada às ações das Eleições 2022 envolve uma rotina de saneamento e de diálogo constante, resultando em determinações judiciais delimitadas com precisão, fundamentadas de forma exauriente e que permitem às partes compreender cada passo do trâmite processual”, disse o ministro.

Veja na galeria: PF prende envolvidos nos ataques de 8 de janeiro em Brasília

Em janeiro, o corregedor determinou a inclusão da minuta em uma das 16 ações no TSE das quais Bolsonaro é alvo. O documento foi incluído no processo, movido pelo próprio PDT, que investiga a reunião de julho de 2022 com embaixadores no Palácio do Planalto, ocasião em que Bolsonaro fez ataques sem provas ao sistema eleitoral brasileiro.

Últimas