Brasília DF: 79% dos internados em hospital de campanha não se vacinaram

DF: 79% dos internados em hospital de campanha não se vacinaram

Levantamento foi realizado pela Secretaria de Saúde no hospital de campanha de Ceilândia, com dados desde maio deste ano

  • Brasília | Alan Rios, do R7, em Brasília

Avanço da vacinação se reflete na queda de internados e mortos em decorrência da Covid-19

Avanço da vacinação se reflete na queda de internados e mortos em decorrência da Covid-19

Myke Sena/MS -11.08.2021

A cada dez internados com Covid-19 no hospital de campanha de Ceilândia, quase oito não tomaram nenhuma dose da vacina contra a doença. Os números são fruto de um levantamento da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, com dados desde o ínicio da operação da unidade, em 25 de maio deste ano.

“Apesar de serem menos de 14% da população do Distrito Federal acima dos 12 anos de idade, as pessoas que não tomaram nenhuma dose da vacina contra a Covid-19 representam quase 80% dos internados no hospital de campanha de Ceilândia em razão da doença”, divulgou a pasta, em nota.

Ao todo, o hospital de campanha registrou 226 mortes em decorrência do novo coronavírus. Destes, 167 pacientes não tinham tomado a vacina, o equivalente a 73,9%. Entre os internados atualmente e os que já receberam alta, são 406 pessoas. Destas, 324 também não tinham recebido nenhuma dose do imunizante, ou seja, 79,7%.

“Esse número é significativo e expressivo para indicar que pessoas que não se imunizaram nem com uma dose estão adoecendo e apresentando um quadro que requer hospitalização proporcionalmente muito maior do que as que tomaram pelo menos uma dose da vacina”, explica Fabiano dos Anjos, diretor de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde.

Nos hospitais de campanha do Autódromo e do Gama, nos 15 primeiros dias de outubro, 54 pacientes foram ou estão internados. Destes, mais da metade, 58,48%, não havia sido vacinada. O DF aplicou mais de 3,8 milhões de doses dos imunizantes contra a doença desde o início da campanha, sendo que mais de 2,2 milhões de pessoas já receberam pelo menos a primeira dose.

Últimas