Brasília 'DNA alienígena', diz presidente da Fundação Palmares sobre vacina

'DNA alienígena', diz presidente da Fundação Palmares sobre vacina

Sérgio Camargo disse, nesta segunda-feira (3), que, caso fique sem saída por causa do passaporte vacinal, vai optar pela CoronaVac

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Sergio Camargo, diretor da Fundação Palmares

Sergio Camargo, diretor da Fundação Palmares

Divulgação/Fundação Palmares

O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, criticou nesta segunda-feira (3) vacinas contra a Covid-19, disse que os imunizantes têm "DNA alienígena" e que, se houver exigência de passaporte de vacinação no país, vai optar por tomar a CoronaVac.

A informação foi publicada por Camargo nas redes sociais. "Não permitirei que injetem 'DNA alienígena' no meu corpo. Caso fique sem saída, por conta do infame passaporte, optarei pela Coronavac. Não funciona, mas ao menos foi desenvolvida utilizando método tradicional e já bem conhecido (vacina de vírus inativado)", escreveu.

Especialistas, contudo, rebatem a declaração de Camargo e afirmam que as vacinas contra a Covid-19 e seus tipos — vírus inativado e RNA mensageiro — são seguras e eficazes contra o coronavírus.

Um estudo feito pela USP (Universidade de São Paulo) e Unesp (Universidade Estadual Paulista) avaliou o efeito das vacinas contra a Covid-19 na população brasileira e concluiu que 91,49% das pessoas que morreram pela infecção, entre os meses de maio e julho de 2021, não tinham tomado imunizante ou não estavam totalmente vacinadas com as duas doses ou dose única.

A pesquisa revelou, ainda, que 84,9% das pessoas imunizadas que morreram no país tinham algum fator de risco e 87,6% tinham 70 anos ou mais.

Últimas