Brasília Dois dias após exoneração, Carlos Fávaro retorna ao Ministério da Agricultura

Dois dias após exoneração, Carlos Fávaro retorna ao Ministério da Agricultura

Ministro havia voltado ao Senado para participar da votação da PEC que restringe decisões dos ministros do Supremo Tribunal Federal

  • Brasília | Do R7, em Brasília

Decisão ocorre dois dias após exoneração

Decisão ocorre dois dias após exoneração

Ricardo Stuckert/PT

O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, foi nomeado novamente ao cargo dois dias após ter sido exonerado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A saída foi a pedido de Fávaro, que retornou temporariamente ao posto de senador para participar da votação da proposta da emenda à Constituição (PEC) que restringe decisões dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

A decisão foi publicada na edição desta sexta-feira (24) do Diário Oficial da União. Fávaro votou contra a PEC, que foi aprovada nesta quarta (22) por 52 a 18.

Prevista para ser votada nesta quinta (23), a derrubada dos vetos de Lula era outro assunto importante da pauta do Senado. No entanto, não houve acordo entre os líderes dos partidos sobre os trechos rejeitados nos projetos, e a sessão acabou sendo cancelada.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Em fevereiro deste ano, Fávaro já havia sido exonerado com outros 12 ministros com cargos legislativos para reforçar a votação dos candidatos do governo à presidência da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

O ministro foi eleito para o Senado em 2020. Desde abril daquele ano, ele já ocupava o cargo interinamente. A vaga foi deixada pela ex-senadora Selma Arruda, que teve o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por crimes de caixa dois e abuso de poder econômico na campanha de 2018.

Últimas