Brasília Ericka Filippelli deixa Secretaria da Mulher para disputar vaga na Câmara Legislativa do DF

Ericka Filippelli deixa Secretaria da Mulher para disputar vaga na Câmara Legislativa do DF

De olho nas urnas, outros secretários também devem deixar o Governo do Distrito Federal até a próxima sexta-feira (1º/4) 

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Ericka Filipelli deixou a Secretaria da Mulher na última quinta-feira (31)

Ericka Filipelli deixou a Secretaria da Mulher na última quinta-feira (31)

Divulgação/Secretaria da Mulher

Em meio ao período eleitoral de 2022, mais um integrante do governo do Distrito Federal deixa o cargo. A secretária da Mulher, Ericka Filippelli, pediu exoneração da pasta para disputar uma vaga na Câmara Legislativa. O pedido foi publicado no Diário Oficial do DF desta quinta-feira (31). 

Ericka ainda busca um partido para concorrer ao pleito. Ela chegou a ser presidente do MDB Mulher, mas se desfiliou em fevereiro. A expectativa é que a candidata à CLDF siga alinhada ao governador Ibaneis Rocha e volte para o MDB, que também é o partido de seu sogro, Tadeu Filippelli. 

O prazo para desincompatibilização — período estabelecido pela Justiça Eleitoral para que gestores públicos deixem os cargos para disputar as eleições — termina na próxima sexta-feira (1º/4). Por isso, a expectativa é que outros secretários também saiam do governo.  

Esse é o caso da secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani, que deve deixar a pasta para concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados. Ela é aliada da ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, filiada ao PL.

Outros nomes também devem abandonar o GDF para se dedicar as candidaturas. O secretário de Ciência e Tecnologia, Gilvan Máximo, do Republicanos, e a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, que se filiou ao MDB, vão concorrer ao posto de distrital.

Já Martins Machado, que estava na Secretaria da Família, retornou à Câmara Legislativa para tentar a reeleição.

Administrações Regionais

O DODF desta quinta informou também a exoneração do administrador de Brazlândia, Jesiel Costa Rosa. Ele será substituído por Marcelo Gonçalves da Cunha.

Ainda nesta semana, o administrador de Ceilândia, Fernando Fernandes, retornou à CLDF para a cadeira de distrital com o objetivo de disputar a reeleição.

Últimas