Brasília 'Espero que a polícia não precise atuar', diz Dino sobre atos previstos para este domingo 

'Espero que a polícia não precise atuar', diz Dino sobre atos previstos para este domingo 

Grupos que não concordam com o resultado das eleições 2022 e com a posse do presidente Lula marcaram manifestações

  • Brasília | Sarah Paes, do R7, em Brasília

O ministro da Justiça, Flávio Dino

O ministro da Justiça, Flávio Dino

Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro da Justiça, Flávio Dino, afirmou no início desta manhã de domingo (8) que está em contato com governadores para tratar das manifestações marcadas para o dia em várias capitais do Brasil. "Queremos que a lei prevaleça e não haja crimes", disse Dino pelas redes sociais.

Na publicação, o ministro explicou que conversou com os chefes dos Executivos locais não só de sua base política, mas também da oposição ao governo e espera que o dia seja pacífico nas ruas do país. "Espero que não ocorram atos violentos e que a polícia não precise atuar", declarou Dino.

Ele ainda comentou a pretensão dos manifestantes a um golpe de Estado. "'Tomada do Poder' pode ocorrer só em 2026, em nova eleição", disse Flávio Dino.

No sábado (7), o ministro publicou uma portaria que autoriza o uso da Força Nacional de Segurança Pública para auxiliar na proteção da ordem entre a rodoviária de Brasília e a praça dos Três Poderes, assim como na proteção de outros bens da União situados em Brasília. A ação foi tomada após a movimentação dos atos antidemocráticos se intensificar na capital e vários ônibus chegarem ao acampamento localizado no Setor Militar Urbano, em frente ao quartel-general do Exército.

Dino também afirmou no sábado (7) que articula, junto aos diretores da Polícia Federal (PF) e Polícia Rodoviária Federal (PRF), medidas para coibir e penalizar os atos.

Últimas