Brasília Ex-mendigo do DF anuncia estimulante sexual não autorizado para venda; Anvisa vai investigar

Ex-mendigo do DF anuncia estimulante sexual não autorizado para venda; Anvisa vai investigar

Givaldo Alves fez propaganda do produto não autorizado em vídeos numa rede social; empresa não tem permissão de funcionamento

  • Brasília | Do R7, em Brasília

Givaldo Alves divulgou o 1º vídeo anunciando o produto não autorizado no dia 11 deste mês

Givaldo Alves divulgou o 1º vídeo anunciando o produto não autorizado no dia 11 deste mês

REPRODUÇÃO/REDE SOCIAL

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) vai abrir uma investigação sobre a "prática de infrações sanitárias" contra uma empresa sem licença que vende um estimulante sexual não autorizado. O produto foi anunciado em dois vídeos neste mês pelo ex-sem-teto Givaldo Alves – que ficou conhecido após ser espancado por um personal trainer que flagrou a esposa fazendo sexo dentro de um carro com Givaldo, no Distrito Federal, em março deste ano. Desde então, Givaldo tem se envolvido em diversas polêmicas (veja mais abaixo).

Na primeira publicação, do dia 11 de junho, Givaldo escreveu que antecipou o lançamento do produto porque, segundo ele, houve vazamento de informações. No vídeo, ele diz ter sido questionado por muita gente sobre qual estimulante sexual utiliza e divulga o produto "com desconto especial".

Segundo vídeo sobre o produto

Segundo vídeo sobre o produto

DIVULGAÇÃO/REDE SOCIAL

Outro vídeo foi publicado seis dias depois. Nele, Givaldo diz que mandou "abaixar o preço" do estimulante sexual e garante a devolução do dinheiro para "quem comprar e não gostar".

De acordo com a Anvisa, o produto não consta no banco de dados da instituição como regularizado. A agência informou também que a empresa responsável pela venda não tem autorização de funcionamento. "Portanto, o produto é irregular, assim como o comércio está sendo realizado por empresa irregular", assegurou a Anvisa em resposta ao R7.

"Será aberto dossiê de investigação pela Agência para a investigação da prática de infrações sanitárias, nos termos do Inciso IV, do Art. 10 da Lei 6.437/77, pela venda de medicamento sem registro, por pessoa/empresa sem licença ou autorização do órgão sanitário", afirmou a instituição.

O R7 tentou contato com Givaldo Alves e com a empresa que vende o produto, mas ainda não recebeu retorno. O espaço segue aberto.

Polêmicas

Após a repercussão do caso com o personal trainer e a esposa dele, que aconteceu no dia 9 de março, em Planaltina, Givaldo se envolveu em outras polêmicas, como ser flagrado num vídeo tentando beijar uma mulher à força. Também foi revelada a condenação e a prisão dele por furto e sequestro.

Além de Givaldo Alves, que foi inocentado da acusação de estupro, a Record TV gravou entrevista com os outros dois envolvidos no caso: o personal trainer Eduardo Alves e a empresária Sandra Mara Fernandes. Veja os vídeos abaixo:

Entrevista com Givaldo Alves:

Entrevista com Eduardo Alves:

Entrevista com Sandra Mara Fernandes:

Últimas