Brasília Garoto de programa diz ter presenciado briga antes de mulher matar noivo em motel no DF

Garoto de programa diz ter presenciado briga antes de mulher matar noivo em motel no DF

Marcella Ellen teria chamado o jovem na noite em que noivo foi morto com um tiro na cabeça; ele recebeu R$ 5 mil

  • Brasília | Josiane Ricardo, da Record TV

Marcella Ellen, suspeita de atirar no noivo em motel

Marcella Ellen, suspeita de atirar no noivo em motel

Reprodução/Instagram

O caso de Marcella Ellen Martins, 31 anos, suspeita de atirar no rosto do noivo e fugir completamente nua pelas rodovias do Entorno do Distrito Federal, ganhou mais um capítulo. O depoimento do garoto de programa que esteve com o casal horas antes da morte de Jordan  Guimarães Lombardi, 39, pode ajudar a Polícia Civil a esclarecer detalhes do crime.

Na delegacia, Gabriel de Matos, 25 anos, confirmou a versão de Marcella sobre um dos motivos da briga entre o casal. O jovem disse que, no dia do assassinato, a modelo cobrava uma posição sobre uma das filhas de Jordan, que teria relatado situações de abuso sexual na casa em que a criança vive com a mãe, ex-mulher de Jordan.



O garoto de programa foi a última pessoa que esteve com o casal enquanto Jordan ainda estava vivo. Ele esteve no quarto dos noivos no motel onde o casal estava hospedado, na madrugada de 9 de novembro, horas antes de Marcella atirar no rosto do empresário e fugir. Gabriel prestou depoimento na 11ª Delegacia (Núcleo Bandeirante), responsável pelas investigações.

A reportagem procurou Gabriel, que conversou, com exclusividade com a Record TV. O jovem mora em São Paulo e disse que ainda está muito abalado com o que aconteceu. “Fiquei cerca de 40 minutos no quarto com o casal e fui embora depois de presenciar uma briga entre os noivos”, relatou.

Segundo o garoto de programa, ele já havia saído com Marcella havia cerca de três anos, mas não lembrava da modelo. “Eu estava em Brasília e recebi um chamado dela [Marcella]. Ela disse que estava com o noivo no motel e eu topei o encontro porque é comum receber propostas de casais”, declarou.

Ainda segundo Gabriel, o valor do programa cobrado por ele foi de R$ 5 mil. O casal fez uma transferência via pix para o jovem. “Cheguei no motel por volta de 1h e fui embora 1h44. Quando entrei no quarto, senti um clima ruim e vi muitas drogas. Os dois usaram muito [drogas] e eu já estava com o pressentimento ruim”, disse o rapaz.

O jovem contou, ainda, que as brigas entre os dois aumentaram depois que ele [Gabriel] se aproximou do casal para começar o programa. “O Jordan agrediu a Marcella e ela pegou a arma para se defender. Nesse momento, eu tentei separar os dois, mas ele [Jordan] me empurrou e eu quase bati a cabeça no chão. Eu fiquei assustado porque o clima estava horrível. Depois disso, eu peguei a chave da porta e fui embora”, declarou.

Abuso Sexual

Em entrevista ao Domingo Espetacular, a defesa da ex-mulher de Jordan negou as acusações de Marcella sobre o suposto estupro que a filha de Jordan teria sofrido na casa da mãe. Ainda segundo os advogados, a criança nunca ficou sozinha com nenhum adulto do sexo masculino.

Relembre

Marcella e Jordan moravam em São Paulo e estavam com casamento marcado. Eles chegaram em Brasília no dia 7 de novembro para acertar detalhes da cerimônia, já que a família da noiva mora na capital. O casal viajou de carro, um modelo importado avaliado em quase meio milhão de reais. Segundo a modelo, os dois consumiram drogas durante o trajeto até o motel, onde ficaram hospedados por dois dias.

O empresário morreu com um tiro no rosto, ainda no motel, e Marcella fugiu com o carro do casal, sem pagar a conta do motel. Ela foi presa em flagrante no dia 9 de novembro no distrito de Edilândia, em Cocalzinho de Goiás, a cerca de 130 quilômetros de Brasília.

Pouco antes da prisão, o veículo foi bloqueado pelo sistema de segurança, já que a localização do carro não fazia parte da rota do casal. Na fuga, a modelo levou apenas a bolsa e a arma usada no crime. Completamente nua, a mulher desceu do carro e, para tentar ir embora, abordou motoristas que passavam pela BR-070. Um deles levou Marcella até um posto de gasolina e chamou a polícia.

Na delegacia, Marcella confessou que matou o noivo e alegou legítima defesa. Na última quinta-feira (10), ela passou por audiência de custódia e teve a prisão preventiva decretada. A modelo está presa no município de Barro Alto, em Goiás.

Além do homicídio, ela deve responder por porte ilegal de arma de fogo e tentativa de roubo, já que abordou motoristas na estrada. A transferência da modelo para o Distrito Federal deve ocorrer ainda essa semana.

Últimas