Brasília Governo cancela reunião em que se discutiria passaporte da vacinação

Governo cancela reunião em que se discutiria passaporte da vacinação

Executivo iria decidir se aceitaria recomendações da Anvisa para exigência de comprovante de imunização a estrangeiros

  • Brasília | Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

Coronavírus

Coronavírus

DIVULGAÇÃO/USP


O governo federal cancelou uma reunião que faria nesta segunda-feira (6) para discutir a orientação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) de exigir que passageiros estrangeiros que queiram entrar no Brasil apresentem um comprovante de vacinação contra a Covid-19.

O encontro deveria ocorrer às 17h30, no Palácio do Planalto, e teria a participação da Casa Civil, dos ministérios da Justiça e Segurança Pública, Infraestrutura, Saúde e Relações Exteriores e também das subchefias de Articulação e Monitoramento, Análise e Acompanhamento de Políticas Governamentais e Assuntos Jurídicos da Secretaria-Geral da Presidência da República.

O cancelamento ocorreu horas depois de o ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), ter dado ao governo um prazo de 48 horas para que se manifestasse sobre a adoção das medidas recomendadas pela Anvisa para a entrada de estrangeiros no país. A agência quer que seja cobrado certificado de vacinação ou quarentena obrigatória de viajantes.

De acordo com a decisão do ministro, a Casa Civil e os ministérios da Saúde, da Justiça e da Infraestrutura devem dar explicações sobre as recomendações. O magistrado atendeu a um pedido da Rede, que alertou sobre o risco de aumento da pandemia de Covid-19 no país com o surgimento da variante Ômicron.

Atualmente, estrangeiros que apresentam teste negativo para o novo coronavírus podem entrar em território nacional por via aérea. O ingresso de viajantes por via terrestre, por outro lado, está proibido desde junho, com exceção da fronteira terrestre com o Paraguai.

Últimas