Brasília Governo exonera diretor de combate ao crime organizado da PF

Governo exonera diretor de combate ao crime organizado da PF

Luís Flávio Zampronha participou da investigação do escândalo do Mensalão e liderou a operação contra hackers na Lava Jato

  • Brasília | Hellen Leite, do R7, em Brasília

Luiz Flávio Zampronha

Luiz Flávio Zampronha

Jose Cruz/Agência Brasil/Arquivo

O governo federal oficializou a exoneração do diretor de combate ao crime organizado, o delegado da PF (Polícia Federal) Luís Flávio Zampronha de Oliveira. A divisão da PF é a responsável por todas as ações que tramitam no Supremo Tribunal Federal contra políticos com foro privilegiado, inclusive as que envolvem o presidente Jair Bolsonaro (PL).

No lugar de Zampronha foi nomeado o delegado Caio Rodrigo Pellim, que atualmente ocupava o cargo de superintendente da PF no Ceará. Ele já atuou como chefe da Delegacia de Repressão ao Tráfico de Drogas em Mato Grosso do Sul e foi superintendente regional em Rondônia e no Rio Grande do Norte.

Leia também: Governo troca diretor da PF por secretário do ministério da Justiça

Zampronha capitaneou a Operação Spoofing, que prendeu hackers responsáveis por invadir os celulares de autoridades, como o então ministro da Justiça Sergio Moro, e copiar mensagens de procuradores da Lava-Jato, em 2019. Ele também participou da investigação no escândalo do Mensalão, ainda no governo do ex-presidente Lula.

As trocas estão publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira (17) e são assinadas pelo ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira. A mudança acontece após o presidente Jair Bolsonaro também alterar o comando geral da PF. Em fevereiro, ele substituiu Paulo Maiurino por Márcio Nunes de Oliveira, que até então era secretário-executivo do Ministério da Justiça.

Últimas