Brasília Ibaneis torna permanentes 'Prato Cheio' e 'Cartão Gás'

Ibaneis torna permanentes 'Prato Cheio' e 'Cartão Gás'

Governador nomeou 170 pessoas na pasta de Desenvolvimento Social; pelo menos 46 mil ainda estão sem atendimento nos Cras

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Ibaneis sancionou lei que cria o plano DF Social

Ibaneis sancionou lei que cria o plano DF Social

Renato Alves/Agência Brasília

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, nomeou 170 servidores para atuar na Secretaria de Desenvolvimento Social, que executa as ações e políticas em benefício da população em situação de vulnerabilidade, e também para a Secretaria da Mulher. O chefe do Executivo também tornou permanentes os benefícios Prato Cheio e Cartão Gás.

"De carência eu entendo, vim lá do interior do Piauí", disse o governador, durante o anúncio, na manhã desta sexta-feira (17). "Não me venha falar em pobreza. Mesmo tendo uma condição diferenciada, eu vi isso muito", prosseguiu.

A secretária do Desenvolvimento Social, Mayara Rocha, afirmou que os novos servidores vão reforçar as equipes que vão a campo para realizar a busca ativa de pessoas em situação de vulnerabilidade. Segundo ela, 46 mil das 201 mil pessoas que procuraram os Centros de Referência em Assistência Social (Cras) não conseguiram atendimento.

"Assistência social tem que ser encarada como prioridade. A pandemia mostrou isso.

Há agora a busca ativa, o trabalhando de campo, para atingir pessoas que não conseguem acessar a assistência social", disse.

Benefícios permanentes

Ibaneis também sancionou os projetos de lei propostos pelo Executivo e aprovados pela Câmara Legislativa que instituíram o Plano DF Social. O programa inclui os benefícios Prato Cheio e Cartão Gás. Essas iniciativas foram criadas de maneira emergencial durante a pandemia de Covid-19, por isso eram provisórias. Agora, eles passam a ser permanentes.

"Quando criamos o programa, não imaginávamos ter adesão tão forte. Não dá pra imaginar que a gente tinha tanta gente em situação de carência, o que agravou com a pandemia", afirmou Ibaneis. 

O Plano DF Social reúne seis programas de transferência de renda na capital. A iniciativa prevê o repasse de parcelas de R$ 150 aos chefes de família inscritos no CadÚnico (Cadastro Único) que tenham renda familiar per capita igual ou inferior a meio salário mínimo. A proposta prioriza as famílias de baixa renda que eram beneficiárias do DF Sem Miséria e as monoparentais chefiadas por mulheres.

Programas sociais

Com a sanção e conversão dos programas em lei, o Cartão Gás, que concede a cada dois meses R$ 100 às famílias de baixa renda na compra de botijões, agora pode ser acumulado com o benefício concedido pelo governo federal, o Auxílio Gás, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro em novembro. Pelo Prato Cheio, há o depósito de R$ 250 nos cartões, que podem ser usados em estabelecimentos comerciais para a aquisição de alimentos.

Últimas