Brasília 'Lulapalooza' é marcado por reclamações sobre organização e falta d'água 

'Lulapalooza' é marcado por reclamações sobre organização e falta d'água 

Até as 20h, cerca de 260 pessoas que passaram mal foram socorridas; maioria dos casos foi devido ao calor e desidratação

  • Brasília | Do R7

Festival do Futuro na Esplanada dos Ministérios

Festival do Futuro na Esplanada dos Ministérios

Warley Andrade/TV Brasil

O Festival do Futuro, em comemoração da posse de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como presidente da República, neste domingo (1º), na Esplanada dos Ministérios, foi marcado por reclamações de falta de água e falhas na infraestrutura. O "Lulapalooza", como foi apelidado, se estendeu até a madrugada desta segunda (2).

Enquanto artistas de diferentes estilos musicais se revezaram nos dois palcos montados em frente ao Congresso Nacional, o público precisou enfrentar filas para beber água, situação agravada pelo calor e pela falta de vendedores ambulantes na Esplanada.

Além disso, o espaço contava apenas com três pontos de água da Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb).

Também houve bastante reclamação de pessoas com deficiência que não conseguiram se locomover pelos espaços em razão da falta de acessibilidade. 

Segundo o Corpo de Bombeiros e a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, até 20h de domingo, cerca de 260 pessoas precisaram ser atendidas. A maioria por pressão alta, desidratação e mal-estar devido ao calor. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), os termômetros marcaram temperatura máxima de 28ºC no domingo.

A disposição dos banheiros químicos também foi alvo de reclamação. A equipe de organização colocou os banheiros próximo às grades, bloqueando a visão da passagem da comitiva oficial durante o desfile do petista em carro aberto.

Últimas