Brasília Mãe e tia de menina morta a facada recebem alta de hospital do DF

Mãe e tia de menina morta a facada recebem alta de hospital do DF

Homem esfaqueou cinco mulheres em Samambaia no sábado; avó da menina segue em estado grave após duas paradas cardíacas

  • Brasília | Josiane Ricardo, da Record TV, e Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Hospital Regional de Ceilândia

Hospital Regional de Ceilândia

Vinícius de Melo / Agência Brasília.

Duas das cinco pessoas esfaqueadas por Adenilson Santos Costa no último sábado (5), em Samambaia, no Distrito Federal, receberam alta do hospital na manhã desta segunda-feira (7). Adélia Paraguai, de 36 anos, e Ana Paula Paraguai, de 33, são, respectivamente, mãe e tia da menina Izadora de Souza do Nascimento, 8 anos, que morreu neste domingo (6).

Familiares das vítimas disseram que as mulheres que deixaram o hospital já estão em casa, passam bem, mas estão tristes pela perda da criança. A avó de Izadora, Eunice Maria, de 53 anos, também ferida no ataque, segue internada em estado grave. Depois de ter o pulmão perfurado, ela sofreu duas paradas cardíacas.

Ainda não há detalhes sobre o estado de saúde da mulher do agressor, Eudicilene de Sousa Barros. Ela também foi socorrida ao hospital com perfurações no abdômen. Adenilson foi preso em flagrante após o crime e passa por audiência de custódia na manhã desta segunda. A Justiça vai avaliar se houve alguma ilegalidade na prisão e se ele seguirá encarcerado.

Na tarde desta segunda-feira, o delegado Rodrigo Larinzatti, da 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia), deve informar detalhes sobre o caso. O processo tramita em segredo de justiça por se tratar de tentativa de feminicídio e violação da lei Maria da Penha.

Cena de terror

Na noite do último sábado (5), quatro mulheres adultas e uma criança foram esfaqueadas pelo marido de uma delas na QR 409, em Samambaia. De acordo com as vítimas, Adenilson foi atrás delas por conta de uma crise de ciúmes da companheira.

O CBMDF (Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal) foi acionado para socorrer as vítimas, e descreveu o local como uma "cena de terror". Os militares encontraram três vítimas no chão, na entrada da residência, e outras duas dentro de casa. A faca do crime estava ao lado de uma delas. Todas foram levadas para o HRC (Hospital de Regional de Ceilandia) e depois foram transferidas para o de HRT (Hospital Rgional de Taguatinga).

Izadora teve hemorragia interna depois de ter o abdômen perfurado. Em estado de choque, seguiu direto para o centro cirúrgico, mas não resistiu. Adélia, mãe de Izadora, também sofreu perfurações no abdômen e no braço. Tia da menina, Ana Paula foi atingida no braço. 

Depois do crime, o agressor tentou fugir, mas foi localizado pela Polícia Militar a poucos metros da residência e acabou preso em flagrante.

Últimas