Brasília Marconny diz que não lembra nome de senador citado em mensagens

Marconny diz que não lembra nome de senador citado em mensagens

À CPI, Marconny Albernaz disse não se lembrar de nome de parlamentar que ajudaria a destravar negócio da Precisa com governo

  • Brasília | Sarah Teófilo, do R7, em Brasília

Empresário Marconny Albernaz

Empresário Marconny Albernaz

Pedro França/Agência Senado - 15.09.2021

Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, nesta quarta-feira (15/9), o empresário Marconny Nunes Ribeiro Albernaz de Faria, apontado como suposto lobista da Precisa Medicamentos, disse não se lembrar o nome de um senador citado em conversas obtidas do seu telefone. O parlamentar ajudaria a destravar os negócios envolvendo compra de testes rápidos contra covid-19 pelo Ministério da Saúde.

A Precisa Medicamentos chegou a ser alvo da operação Falso Negativo, do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), que apura venda de testes contra covid-19 no DF e em sete estados. Em uma das mensagens coletadas pela CPI, o depoente disse que conhecia um senador que "desataria o nó". "Não conheço quem é esse senador", afirmou aos senadores, quando questionado sobre nome. Mesmo após reiterados questionamentos, afirmou que não se recorda e que não conhece nenhum senador.

Os parlamentares apresentaram uma conversa entre Marconny e José Ricardo Santana, ex-secretário-executivo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e apontado também como lobista da Precisa. Nela, Marconny indica como proceder no certame licitatório, com indicação de quais as ações precisam ser tomadas pelo ex-diretor de Logística do ministério Roberto Ferreira Dias, investigado pela CPI. O texto traz a "arquitetura ideal para o processo dos kits prosseguir”, como escrito por Marconny.

Últimas