Brasília Mauro Vieira vai participar de reunião do Conselho da ONU sobre conflito no Oriente Médio

Mauro Vieira vai participar de reunião do Conselho da ONU sobre conflito no Oriente Médio

Ministro deve enfatizar que solução para a guerra vem da necessidade de buscar saída sustentável para a crise na região

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Reunião será nesta quarta-feira

Reunião será nesta quarta-feira

Brendan McDermid/Reuters - 13.10.2023

O ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, vai participar do debate aberto de alto nível do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta quarta-feira (29), em Nova York, nos Estados Unidos, sobre a situação no Oriente Médio. A reunião foi convocada pela presidência do órgão, que neste mês está sob o comando da China, e vai coincidir com o Dia da Solidariedade ao Povo Palestino.

O debate aberto ocorre em seguimento às reuniões de emergência convocadas pelo Brasil, enquanto ocupava a presidência do órgão, em 8 e 13 de outubro. A reunião ainda segue a resolução, aprovada em 15 de outubro, que pede a implementação de pausas e corredores humanitários urgentes em toda a Faixa de Gaza.

O encontro visa buscar a construção de consensos e contribuições positivas para assegurar um cessar-fogo e aliviar a crise humanitária na região. Em seu discurso, o ministro das Relações Exteriores vai enfatizar a necessidade de buscar uma saída sustentável para a crise na região, por meio da implementação da solução de dois Estados, com um Estado palestino viável, convivendo em paz com Israel, dentro de fronteiras mutuamente aceitas e internacionalmente reconhecidas.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Recentemente, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar o organismo internacional. "Em seu mandato no Conselho de Segurança da ONU, o Brasil tem trabalhado incansavelmente pela paz, mas as soluções são reiteradamente frustradas pelo direito de veto. Precisamos resgatar a confiança no multilateralismo. Precisamos recuperar nossas melhores tradições humanistas. Nada justifica que as principais vítimas dos conflitos sejam mulheres e crianças", disse o petista.

Durante o mês de outubro, o Brasil presidiu de forma temporária o Conselho de Segurança da ONU. Instituído em 1948 para zelar pela manutenção da paz e da segurança internacional, o órgão tem cinco membros permanentes — China, Estados Unidos, França, Reino Unido e Rússia.

Há ainda um grupo de dez membros não permanentes com mandato de dois anos. Atualmente, os dez países que ocupam essas vagas são: Brasil, Albânia, Equador, Emirados Árabes, Gabão, Gana, Japão, Malta, Moçambique e Suíça.

Últimas