Brasília Ministro não descarta possibilidade de moeda única com a Argentina

Ministro não descarta possibilidade de moeda única com a Argentina

Carlos França afirmou que possibilidade existe para o futuro, mas que países ainda não têm política monetária harmonizada

  • Brasília | Hellen Leite, do R7, em Brasília

Ministro Carlos França na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados

Ministro Carlos França na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados

Redes sociais/Reprodução

O ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto França, afirmou nesta quarta-feira (18) que é possível que uma moeda única com a Argentina seja implementada no futuro. O tema voltou a ser assunto nos últimos dias, após Lula e Paulo Guedes se manifestarem favoravelmente à criação de uma política monetária unificada no Mercosul.

"É possível que ela [moeda única] seja adotada no futuro, mas penso que hoje ainda parece um debate que precisaria ser aprofundado. Estamos distantes da possibilidade de harmonização de políticas monetárias e macroeconômicas que possibilitem isso", comentou o ministro. Segundo ele, esse tema deve ser debatido no campo de atuação de Paulo Guedes.

Leia também: Argentina planeja Mercosul com moeda comum e integrado à UE

"O peso real se daria em um processo similar com o que ocorre na União Europeia e permitiria uma coalização de taxas de juros e pressão inflacionária que parecem trazer muitos benefícios. Eu acho que é um debate necessário. Acho que a integração, se ela avança, a prioridade ficará cada vez maior para vencermos as barreiras tarifárias e outras de modernização do bloco", disse o ministro. A fala ocorreu durante uma reunião na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara dos Deputados.

A ideia de adotar uma moeda comum já surgiu em outras ocasiões da relação bilateral argentino-brasileira, embora não tenha seguido adiante. Em junho de 2019, o presidente Jair Bolsonaro ventilou a possibilidade durante visita ao país vizinho. Segundo o mandatário, o "peso real" seria "o primeiro passo para um sonho de uma moeda única na região do Mercosul".

Últimas