Brasília Moraes dá 2 dias para Bolsonaro se manifestar sobre suposta incitação à violência política

Moraes dá 2 dias para Bolsonaro se manifestar sobre suposta incitação à violência política

O presidente disse que vai deixar a resposta para a assessoria e criticou decisão do ministro durante live desta sexta-feira (15)

  • Brasília | Alan Rios, do R7, em Brasília

Jair Bolsonaro e Alexandre de Moraes

Jair Bolsonaro e Alexandre de Moraes

Fabio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil

O ministro Alexandre de Moraes deu ao presidente Jair Bolsonaro dois dias para se manifestar quanto a uma petição protocolada pela oposição que diz que ele incita violência política. O pedido de investigação foi feito ao Supremo Tribunal Federal (STF), e a ministra Rosa Weber o encaminhou à Procuradoria-Geral da República (PGR). Moraes, como presidente em exercício do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), solicitou a "prévia manifestação" de Bolsonaro.

O encaminhamento à PGR é uma medida de praxe, já que a Procuradoria é responsável por requerer investigação nos processos de competência criminal no STF.

O pedido de investigação sobre o presidente foi apresentado pelo PT e por 13 deputados federais. O documento afirma que Bolsonaro, nas lives e redes sociais, ameaça as instituições e o processo eleitoral, com apologia de crime, abolição violenta do Estado democrático de Direito e violência política.

A petição cita como exemplo o assassinato do dirigente do PT Marcelo Arruda, em Foz do Iguaçu (PR). Arruda morreu baleado durante festa do seu aniversário, a qual teve como tema o PT. Em outras oportunidades, o presidente negou que estimule a violência.

Após o prazo para a resposta de Bolsonaro, com ou sem a manifestação dele, o ministro intima o Ministério Público Eleitoral para que avalie o caso, no mesmo período de dois dias.

Últimas