Brasília Moraes manda PF apurar suposta incitação de Fernando Holiday a atos extremistas

Moraes manda PF apurar suposta incitação de Fernando Holiday a atos extremistas

O ministro analisou um pedido feito pela bancada feminina da Câmara de Vereadores de São Paulo

  • Brasília | Gabriela Coelho, do R7, em Brasília

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, durante sessão na Corte

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, durante sessão na Corte

Carlos Moura/SCO/STF - 7.2.2023

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a Polícia Federal apure se o vereador por São Paulo Fernando Holiday incitou os atos extremistas de 8 de janeiro em Brasília.

O magistrado analisou um pedido feito pela bancada feminina da Câmara de Vereadores de São Paulo. Segundo as vereadoras, Holiday incentivava os atos antidemocráticos após as eleições de 2022 por meio das redes sociais, o que pode configurar os delitos de abolição violenta do Estado democrático de Direito e de incitação ao crime.



"As condutas narradas, considerado o contexto geral dos atos ocorridos a partir da proclamação do resultado das eleições gerais de 2022, com bloqueio de rodovias, bem como aqueles ocorridos no dia 8/1/2023 em Brasília/DF, com depredação dos prédios, em tese se relacionam com diversas investigações em andamento nesta Corte", disse.

No pedido, a bancada solicita ainda que seja instaurado um inquérito para investigar os ilícitos cometidos por Holiday devido a sua participação em atos extremistas, nas paralisações de rodovias e outros crimes. A Procuradoria-Geral da República pediu para o processo ser enviado para a Justiça de São Paulo. Moraes, entretanto, disse que isso seria "prematuro", já que a ação pode se relacionar com inquéritos em análise pelo STF.

Últimas