Brasília MPDFT promove curso para abordar violência doméstica

MPDFT promove curso para abordar violência doméstica

As aulas serão ministradas no formato on-line e abordarão violência contra a mulher e familiar

  • Brasília | Karla Beatryz*, do R7, em Brasília

O Formulário Nacional de Avaliação de Risco é preenchido em casos de violência doméstica

O Formulário Nacional de Avaliação de Risco é preenchido em casos de violência doméstica

Web / Reprodução

Servidores do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e o público em geral poderão participar de um curso para avaliação e gestão de riscos nos casos de violência doméstica e familiar. A capacitação é um projeto desenvolvido pelo Núcleo de Gênero e pela Secretaria de Desenvolvimento e Educação Corporativa (Secor) do MPDFT para orientar no preenchimento do Formulário Nacional de Avaliação de Risco, um documento utilizado nas ocorrências de violência doméstica.

As aulas serão ministradas de forma on-line no mês de novembro. O público externo poderá realizar o curso "Aplicação do Formulário Nacional de Avaliação de Risco a Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar". Serão abordados temas como a atuação do sistema de Justiça no enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, políticas públicas de prevenção e gestão de risco e formulários.

Quem quiser participar do curso e sair com certificado, é preciso fazer a inscrição através da página do MPDFT. Em caso de primeiro acesso, é necessário criar uma conta e clicar em ‘’Ações Educacionais’’.

Para conferir o edital e programação completa das aulas, clique aqui

Thiago André Pierobom, promotor de Justiça da 2° Promotoria de Justiça de Defesa da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, e Elaine Novaes Vieira, analista da psicologia e mestre em psicologia, serão palestrantes na programação, além de outros convidados.

Violência doméstica
Os casos de violência doméstica e feminicidio no Distrito Federal cresceram em 2021. A Polícia Civil avalia que o crescimento de ocorrências pode ter relação com a pandemia da Covid-19, quando agressor e vítima passam mais tempo juntos e isolados no mesmo ambiente 

Entre janeiro e outubro desse ano, 20 mulheres foram assassinadas pelo companheiro, no DF. Segundo os dados da Secretaria de Segurança Pública, em 2020 foram 17 vítimas de feminicídio no DF, já em 2019 foram 32. 

*Estagiária sob supervisão de Fausto Carneiro.

Últimas