Invasão do Planalto, STF e Congresso em Brasília

Brasília No Planalto, Lula recebe decreto de intervenção federal aprovado pelo Congresso Nacional

No Planalto, Lula recebe decreto de intervenção federal aprovado pelo Congresso Nacional

Arthur Lira (PP-AL) e parlamentares foram até o gabinete do presidente da República nesta quarta-feira (11)

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Parlamentares entregam a Lula decreto aprovado de intervenção federal no DF

Parlamentares entregam a Lula decreto aprovado de intervenção federal no DF

Reprodução / TV Brasil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) recebeu, nesta quarta-feira (11), a visita do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e de outros congressistas, no Palácio do Planalto, para a entrega do documento que ratificou a intervenção federal na área de segurança no Governo do Distrito Federal até o dia 31 de janeiro.

O interventor escolhido por Lula foi Ricardo Cappelli, secretário-executivo do Ministério da Justiça — em entrevista coletiva, ele afirmou que a capital federal nunca mais verá o que aconteceu, em referência aos atos de vandalismo registrados nas sedes dos Três Poderes, em Brasília, no domingo (8).

Extremistas que não aceitam o resultado das eleições do ano passado invadiram os órgãos e deixaram um rastro de destruição. Os prejuízos ainda estão sendo calculados, mas fontes dizem que serão gastos milhões com as reformas. Uma das obras destruídas, por exemplo, é do artista Di Cavalcanti e tem custo aproximado de R$ 8 milhões.

A intervenção foi confirmada pela Câmara dos Deputados e, na sequência, pelo Senado — nessa casa, oito senadores da base aliada do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) votaram contra. São eles: Carlos Potinho (PL-RJ), Luiz Carlos Heinze (PP-RS), Zequinha Marinho (PL-PA), Carlos Viana (PL-MG), Flávio Bolsonaro (PL-RJ), Eduardo Girão (Podemos-CE) e Plínio Valério (PSDB-AM).

O encontro de Lula com os chefe do Legislativo nesta quarta não é o primeiro desde a invasão. No dia seguinte à depredação das sedes por parte de extremistas, o presidente recebeu os 27 governadores, assim como Lira, e, na época, o presidente em exercício do Senado, Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), para uma reunião em defesa da democracia.

A reportagem apurou que, na reunião desta quarta, Pacheco não compareceu. O presidente do Senado, que é diabético, amanheceu indisposto e sua pressão baixou. Diversos senadores, como Jean Paul Prates (PT-RN), indicado para a presidência da Petrobras, e Renan Calheiros (MDB-AL), estiveram presentes.

Interventor exonera servidores

O interventor do Distrito Federal exonerou 13 servidores da Segurança Pública nomeados pelo ex-secretário Anderson Torres que atuaram no domingo (8), dia em que extremistas invadiram as sedes dos Três Poderes. As dispensas foram publicadas em edição extra do Diário Oficial do DF (DODF) desta terça-feira (10).

Entre os exonerados está o ex-comandante-geral da Polícia Militar do DF, Fábio Augusto Vieira, que foi preso por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. O substituto, Klepter Rosa Gonçalves, foi nomeado no mesmo ato do DODF. Cappelli já tinha anunciado a troca na última segunda-feira (9).

Últimas