Brasília Objetos de homem arrastado por 40 km são encontrados em rodovia

Objetos de homem arrastado por 40 km são encontrados em rodovia

Equipe da empresa que administra a BR-040 encontrou apenas os pertences da vítima: dinheiro, cigarro, isqueiro e um par de botas

  • Brasília | Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Supostos pertences da vítima foram encontrados na BR040

Supostos pertences da vítima foram encontrados na BR040

Reprodução / CBMGO

A Via 040, empresa que administra a BR-040, informou na manhã desta quarta-feira (8) que, ao atender ao chamado que comunicava que havia um corpo na rodovia, encontrou apenas os pertences da vítima no local. O corpo do homem, de 31 anos, foi arrastado por 40 quilômetros preso embaixo do carro de uma mulher que seguia viagem com a filha para casa.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Goiás, havia na madrugada dessa terça-feira (7) dois chamados de atropelamento na via: o primeiro no quilômetro 28, e o segundo no quilômetro 40. A administradora da BR-040 recolheu o corpo do primeiro chamado, no quilômetro 28.

Contudo, ao chegar ao outro ponto, para atender à segunda chamada, encontrou apenas os pertences da vítima: R$ 237, uma carteira de cigarros, um isqueiro e um par de botas. O corpo do homem havia sido arrastado por cerca de 40 quilômetros depois que uma motorista passou por cima dele. A Polícia Civil de Goiás (PCGO) ainda não divulgou a identidade da vítima.

Entenda o que aconteceu

De acordo com fontes ouvidas pela reportagem, ao ver o corpo na estrada, a mulher, de 43 anos, tentou desviar, mas teria passado com a roda direita do carro sobre o suposto cadáver. Aos bombeiros, ela afirmou que conseguiu estabilizar o veículo e parou logo à frente.

De acordo com a Polícia Civil de Goiás (PCGO), a mulher informou aos policiais que, devido à forte chuva e escuridão da via, pensando na segurança dela e da filha que viajava com ela, seguiu viagem. Só ao chegar em casa, a filha abriu a porta do carro e viu uma perna embaixo do veículo.

Elas chamaram a polícia e o Corpo de Bombeiros, imaginando se tratar de uma perna presa embaixo do assoalho do automóvel. No entanto, ao atender ao chamado, os bombeiros suspenderam o carro e verificaram que havia um homem morto com o braço preso à barra homocinética do veículo.

Após a chegada da perícia e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML), e a motorista foi conduzida ao Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), em Luziânia (GO), onde prestou depoimento e foi liberada.

Últimas