Brasília Operação prende 3,9 mil suspeitos de violência contra mulheres

Operação prende 3,9 mil suspeitos de violência contra mulheres

Ação iniciada em 7/2 e coordenada pelo Ministério da Justiça cumpre mandados em todo o país; 37 mil vítimas foram atendidas

  • Brasília | Priscila Mendes, do R7, em Brasília

Mais de 30 mil mulheres vítimas de violência já foram atendidas em todo o país

Mais de 30 mil mulheres vítimas de violência já foram atendidas em todo o país

Rovena Rosa/Agência Brasil

No Dia Internacional da Mulher, policiais civis cumprem mandados em 26 estados e no Distrito Federal para prender suspeitos de praticar crimes de violência contra mulheres. A Operação Resguardo, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, prendeu pelo menos 3,9 mil homens e atendeu mais de 37 mil vítimas em 2.100 municípios desde 7 de fevereiro até a manhã desta terça-feira (8). 

 Os dados consolidados sobre prisões, armas apreendidas, diligências e medidas protetivas foram apresentados pelo ministro Anderson Torres em cerimônia no Palácio do Planalto, às 10h.

O objetivo da operação é “apurar denúncias, instaurar inquéritos policiais e cumprir mandados de prisão para a proteção da mulher”, segundo a pasta. Ao todo, 13.990 policiais participam da ação. As prisões ocorrem por determinação judicial.

"A atuação conjunta com as polícias civis do país é uma resposta àqueles que acreditam que ficarão impunes após cometerem qualquer tipo de violência contra a mulher. Os resultados da Operação demonstram um trabalho comprometido com Justiça e Segurança Pública cada vez mais fortes”, destaca o ministro da Justiça, Anderson Torres. 

A Operação Resguardo contou com a parceria do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, responsável pelos canais de denúncias de violências – como o Disque 180 e o Ligue 100.

Capacitação de agentes


Além de deflagrar as ações intensivas de segurança no enfrentamento da violência contra a mulher, o Ministério da Justiça investiu mais de R$ 8 milhões em cursos de capacitação e qualificação de agentes das forças de segurança federais e estaduais que atuam no atendimento às vítimas de violência.

Em 2021, por meio da Secretaria de Gestão e Ensino em Segurança Pública, a pasta disponibilizou mais de dez cursos, nas modalidades online e presencial, que contaram com a participação de aproximadamente 26 mil agentes.

Princípios de Atendimento às Mulheres em Situação de Vulnerabilidade, Atuação Policial Frente a Grupos Vulneráveis e o curso presencial de Atendimento às Mulheres em Situação de Violência foram os mais procurados. De acordo com o ministério, a previsão para este ano é de investimentos de R$ 18 milhões em capacitação.

Últimas