Brasília Polícia conclui investigação sobre morte de jovem carbonizada em parque no DF

Polícia conclui investigação sobre morte de jovem carbonizada em parque no DF

Crime ocorreu em Samambaia; após conclusão do inquérito, três suspeitos foram presos

  • Brasília | Elijonas Maia, da Record TV, em Brasília

26ª Delegacia de Polícia, em Samambaia Norte investiga o caso

26ª Delegacia de Polícia, em Samambaia Norte investiga o caso

Web/Reprodução

A polícia prendeu nesta sexta-feira (26) três pessoas suspeitas de terem matado Brenda Pinheiro da Silva, 26 anos. A vítima foi encontrada no Parque Gatumé, com o corpo carbonizado e marcas de facadas em 7 de maio deste ano.

De acordo com a polícia, os laudos apontam que a vítima foi estuprada antes de morrer. O inquérito, que RecordTV teve acesso com exclusividade, foi enviado à Justiça. Dois suspeitos foram presos e indiciados por homicídio qualificado, estupro e ocultação de cadáver. Um está foragido. Segundo a polícia, a vítima foi estuprada e morta com 22 facadas, além de ter sido esquartejada. Os autores do crime também arrancaram as duas mãos dela para dificultar a identificação. O corpo ainda foi queimado. 

O resultado dos exames confirmou a presença de sêmen de um dos suspeitos em um vestido localizado próximo ao corpo. Ainda segundo a polícia, foram identificadas as digitais dos autores nos objetos utilizados para carregar a vítima.

Autoria e motivação do crime

A Polícia Civil apontou os autores como intgrantes de uma facção criminosa. Segundo os investigadores, a namorada do líder do bando era amiga de Brenda e elas costumavam sair juntas, o que desagradava o criminoso. A polícia afirma ainda que a vítima chegou a ser ameaçada por sair com a namorada do líder do bando para festas. Para os investigadores, a vítima foi assassinada por vingança.

O caso

O corpo carbonizado foi encontrado em maio deste ano em um matagal, perto da quadra QR 427, em Samambaia. A vítima estava sem roupas e as apurações davam conta de que o crime teria sido um feminicídio.

Brenda morava com a mãe no Recanto das Emas. Ela deixou três filhos. A família fez protesto em frente à delegacia cobrando celeridade nas investigações.

Últimas