Brasília Polícia Federal faz operação para combater tráfico internacional de armas

Polícia Federal faz operação para combater tráfico internacional de armas

Pela manhã desta terça-feira (21), 11 pessoas haviam sido presas em sete estados e no Distrito Federal

  • Brasília | Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Viaturas das Polícia Federal

Viaturas das Polícia Federal

Reprodução / Polícia Federal

A Polícia Federal cumpre nesta terça-feira (21) 20 mandados de prisão contra pessoas condenadas por tráfico internacional de armas e munições. A Operação Firearms teve início nas primeiras horas da manhã e, até por volta das 11h, 11 pessoas haviam sido presas no Distrito Federal, Rio de Janeiro, Paraná, São Paulo, Goiás, Espírito Santo e Rio Grande do Sul. 

Entre os presos está um homem denunciado pelo Ministério Público Federal no Rio de Janeiro por tráfico internacional de armas, após a apreensão, em junho de 2017, de 60 fuzis no Aeroporto Internacional do Galeão. As armas chegaram ao Brasil vindas de Miami, nos Estados Unidos, segundo a polícia.

A apreensão foi a maior da história da polícia carioca. Quinze fuzis são do modelo AR-10, e 45 AK-47. Todos são de calibre exclusivo das Forças Armadas, mas, após decisão judicial, o Exército entregou as armas à Polícia Civil. 

De acordo com a PF, durante a operação houve dois flagrantes de posse ilegal de arma, além da apreensão de 14 armas de fogo e munições de diferentes calibres. Os presos foram apresentados ao Poder Judiciário e conduzidos ao sistema prisional.

Investigações

A operação desta terça-feira é coordenada pela Força-Tarefa Internacional de Combate ao Tráfico de Armas e Munições (FICTA), que tem entre os integrantes representantes da Secretaria Nacional de Segurança Pública e da Agência de Investigações de Segurança Interna (Homeland Security Investigations) da Embaixada dos Estados Unidos.

As penas por tráfico internacional de armas e comércio ilegal de armas de fogo podem chegar a 16 anos de prisão.

Últimas