Brasília População brasileira cresce na metade do ritmo dos anos 2000, mostra Censo

População brasileira cresce na metade do ritmo dos anos 2000, mostra Censo

País passou de 190 milhões de habitantes em 2010 para 203 milhões em 2022; crescimento foi de 12,2% na década anterior

  • Brasília | Clarissa Lemgruber, do R7, em Brasília

País cresceu 6,4% de 2010 a 2022

País cresceu 6,4% de 2010 a 2022

Edu Garcia/R7 - 20.12.2023

O ritmo do crescimento populacional no Brasil caiu quase pela metade na última década, segundo o Censo 2022 divulgado nesta sexta-feira (2) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Entre 2010 e 2022, a população brasileira cresceu 6,4%, enquanto nos dez anos anteriores, de 2000 a 2010, o aumento foi de 12,2%.

De acordo com o levantamento, o país tem hoje 203 milhões de habitantes contra 190,7 milhões em 2010. Nos anos 2000, o número de brasileiros era de 169,8 milhões. O instituto mapeou pela primeira vez todas as coordenadas geográficas e os tipos de edificações que compõem os 111 milhões de endereços do Brasil cadastrados durante a pesquisa.

O país segue se tornando cada vez mais feminino (104,5 milhões ou 51,5% do total de brasileiros). A população negra (incluindo pretos e pardos) corresponde a 55,5% (112,7 milhões) do total.

Escolas

A pesquisa mostrou que São Paulo, Bahia, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Maranhão e Pará têm mais da metade das escolas, creches e universidades do país. Ao todo, os seis estados são responsáveis por 138.338 instituições de ensino, 52% das 264.445 existentes no país.

Hospitais e centro de saúde

O instituto conseguiu tabelar os estabelecimentos de saúde do país, como hospitais, prontos-socorros, clínicas, postos de saúde. Segundo o levantamento, São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul contam, juntos, com quase metade das unidades de saúde do país. São 122.924 estabelecimentos – 49,6% do total de 247.510.

Sozinhos, os paulistas possuem quase 57 mil centros de saúde, seguidos por Minas Gerais (32.966), Paraná (16.498) e Rio Grande do Sul (16.467). A Bahia vem logo na sequência, com 16.347 unidades de saúde.

Por outro lado, o Acre e o Amapá aparecem com apenas 769 e 796 hospitais, clínicas ou prontos-socorros, de acordo com o IBGE.

Tipos de endereço

A maioria dos endereços do Brasil é formada por domicílios particulares (90,6 milhões), ou seja, casas e apartamentos. Em segundo lugar, estão os estabelecimentos comerciais com "outras finalidades" (11,7 milhões), como comércio, prédios culturais ou públicos.

Últimas