Brasília Presidiários fingem ser mulheres para pedir nudes e aplicar golpes

Presidiários fingem ser mulheres para pedir nudes e aplicar golpes

Esquema criminoso contava com o apoio de parentes dos detentos para fazer contato com vítimas e receber valores

  • Brasília | Marcela Cunha*, do R7, em Brasília

Penitenciária de Jacuí, em Charqueadas, no Rio Grande do Sul

Penitenciária de Jacuí, em Charqueadas, no Rio Grande do Sul

Divulgação/PCDF

Detentos da Penitenciária de Jacuí, em Charqueadas (RS), foram alvo de uma operação da Polícia Civil do Distrito Federal em parceria com a Polícia Civil do Rio Grande do Sul nesta terça-feira (15). A ação policial tem como objetivo desarticular uma associação criminosa dedicada à prática de extorsão. 

O esquema criminoso contava com o apoio de parentes dos presos para o contato com as vítimas e o recebimento de valores. O grupo praticava golpes contra pessoas de todo o Brasil.

Segundo as investigações, os presidiários criavam perfis em redes sociais e em sites de relacionamento usando fotos de jovens atraentes para chamar a atenção de homens mais velhos, preferencialmente comprometidos.

Depois de identificar potenciais vítimas, os integrantes entravam em contato por meio de aplicativo de mensagem e iniciavam conversas de cunho sexual em que solicitavam o envio de imagens íntimas.

Depois de algum tempo os integrantes da quadrilha entravam em contato com a vítima se passando por policiais civis do RS. Eles alegavam que os familiares da moça com quem o homem teria trocado mensagens eróticas e imagens íntimas haviam registrado um boletim de ocorrência contra o homem. Ele então passava a ser extorquido pelos falsos policiais, que exigiam quantias em dinheiro para extinguir a falsa investigação.

Nesta fase da operação policial foram cumpridos mandados de busca e apreensão contra 13 investigados, sendo dez deles detentos da Penitenciária de Jacuí.

*Estagiária, sob supervisão de Fausto Carneiro

Últimas