Brasília Governo do DF diz que monitora suposta fraude em boletos do IPVA

Governo do DF diz que monitora suposta fraude em boletos do IPVA

Economia anuncia que ainda não é possível atestar falsificação apontada em vídeos nas redes sociais e aplicativos de mensagens

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Correspondência com o IPVA 2022

Correspondência com o IPVA 2022

Jéssica Moura/R7

A Secretaria de Economia do Distrito Federal informou que monitora a denúncia sobre uma suposta falsificação de boletos do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotivos). A declaração ocorre depois que vídeos comparando dois documentos de cobrança do imposto passou a circular nas redes sociais e em aplicativos de mensagens.

Na postagem, um homem aponta que há diferenças entre os carnês e alerta que um deles é falso. A publicação deixou os proprietários de veículos preocupados, pois a primeira parcela e a cota única do tributo se aproximam da data de vencimento.

Motoristas têm até 21 de fevereiro para pagar o imposto em cota única com 10% de desconto. Quem optar pelo parcelamento poderá dividir em até seis parcelas iguais e sucessivas. O vencimento da primeira parcela será entre os dias 21 a 25/2, conforme o número final da placa do veículo.

A Secretaria de Economia é responsável pela emissão dos documentos. A pasta anunciou que tem acompanhado a situação, mas que ainda não é possível concluir se os boletos são falsificados.

Em uma das versões do vídeo postado nas redes, o documento traz um código de barras na área do destinatário e um símbolo da secretaria. No outro, apontado como falso pelos internautas, há um selo dos Correios e não há o código de barras. A pasta reforçou que as diferenças na impressão são normais e que essa seria inclusive uma estratégia para evitar falsificações.

"A Secretaria de Economia esclarece que não identificou sinais de fraudes nos boletos do IPVA 2022 que chegaram aos contribuintes. As correspondências enviadas podem ter identificação visual diferente, mas o importante é que as informações internas estejam corretas. Em especial, os dados do destinatário do pagamento, que deve ser a Secretaria de Economia do DF, identificada como SEEC ou SEFAZ.".

Os boletos são enviados pela pasta a uma gráfica que imprime os documentos ainda em dezembro. En seguida, eles são encaminhados aos Correios, que fazem a entrega às residências. A secretaria afirma que não interfere na postagem, que cabe aos Correios, e que a empresa pode ter procedimentos diferentes na hora de carimbar as cartas.

Orientações

Apesar de a fraude não ter sido confirmada, o governo do DF orienta os contribuintes que estiverem inseguros quanto à veracidade dos boletos a emitirem o documento pelo site da própria Secretaria de Economia. Os documentos gerados pela página são 100% autênticos e mais atualizados.

Os boletos que começaram a chegar no início do mês ainda não levavam em conta os abatimentos da indicação de créditos do Nota Legal, portanto o valor com desconto vai constar apenas no documento emitido pelo site da secretaria.

A pasta alerta que os contribuintes devem ficar atentos a indícios de fraudes, como o destinatário dos recursos, que nunca deve ser uma pessoa física, mas sim a própria Receita. Outro indicativo de autenticidade é o serrilhado no envelope. Erros de português na digitação das informações também apontam falsificação.

Golpes

Os casos de fraude são investigados pela Polícia Civil e não são apurados pela Secretaria de Economia, que apenas alerta sobre possíveis problemas.

Últimas