Brasília Procurador manda para PGR investigação sobre Deltan por diárias e fundo de R$ 2,5 bilhões

Procurador manda para PGR investigação sobre Deltan por diárias e fundo de R$ 2,5 bilhões

Ex-deputado diz que a 'atuação foi reconhecidamente regular' nos casos encaminhados para apuração da PGR

  • Brasília | Agência Estado

Deltan nega irregularidades na atuação

Deltan nega irregularidades na atuação

Fernando Frazão/Agência Brasil - 07.07.2016

O Ministério Público do Paraná remeteu à Procuradoria-Geral da República uma apuração sobre a conduta do ex-procurador da República e ex-deputado federal Deltan Dallagnol. A investigação trata de dois fatos: a tentativa de criação de um fundo de R$ 2,5 bilhões para gestão de recursos recuperados na extinta Operação Lava Jato e o pagamento de diárias e passagens para integrantes da força-tarefa.

Em nota, o ex-deputado Deltan Dallagnol diz que a "atuação foi reconhecidamente regular" nos casos encaminhados para apuração da PGR.

A remessa da apuração à cúpula do Ministério Público Federal foi determinada pelo procurador Jorge Mauricio Porto Klanovicz. A avaliação foi a de que o 7º Ofício da Procuradoria da República em Foz do Iguaçu — ao qual Klanovicz pertence — não teria atribuição para apurar os fatos narrados.

 Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
 Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
 Compartilhe esta notícia pelo Telegram
 Assine a newsletter R7 em Ponto

Ele afirmou que os fatos não se relacionavam somente a condutas individuais de Dallagnol, mas são questões que em tese podem envolver outros integrantes da antiga força-tarefa da Lava Jato, composta de procuradores da República e procuradores regionais ainda em atividade.

A representação do coletivo de advogados Prerrogativas pedia ainda a apuração de dois outros pontos. No despacho, Klanovicz determinou a autuação de um procedimento em separado para apurar suposto uso indevido da condição de membro do Ministério Público Federal para venda de palestras a entidades e empresas privadas e suposto recebimento irregular de auxílio-moradia. A investigação será conduzida pelo 2º Ofício da Procuradoria da República em Guaíra (PR).

Últimas