Brasília Quatro projetos de vacinas brasileiras recebem apoio do MCTI

Quatro projetos de vacinas brasileiras recebem apoio do MCTI

Chamamento para os projetos recebeu cinco propostas. Quatro estão qualificadas para receber os investimentos públicos

  • Brasília | Gabrielle Vieira, do R7, e Vanessa Lima, da Record TV

JOAO GABRIEL ALVES/ESTADÃO CONTEÚDO

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, anunciou nesta terça-feira (31) o resultado preliminar de um chamamento público lançado para projetos nacionais de vacinas contra a Covid-19. Foram recebidas cinco propostas para estudos, sendo quatro já selecionadas por estarem qualificadas. As propostas vão receber recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento de Ciência e Tecnologia (FNDCT).

Os projetos, autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para estudos clínicos, serão contratados através do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ). O investimento no projeto é de R$ 105 milhões. Neste momento, alguns estudos estão em fases 1 e 2, que avaliam a segurança e eficácia para novos imunizantes.

O chamamento público das vacinas foi lançado no dia 2 de julho pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) para identificar projetos de ensaio clínico das fases I e II para desenvolvimento dos imunizantes, cujo Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) tenha sido desenvolvido no Brasil por pesquisadores brasileiros, em institutos de Ciência e Tecnologia nacionais (ICTs), e, ou, parceria internacional com transferência de tecnologia.

Marcos Pontes aproveitou o momento para elogiar a ciência brasileira. “Mesmo com todas as dificuldades orçamentárias, grande parte como resultado da pandemia, a ciência tem feito o seu papel, tem feito o desenvolvimento em tempo recorde de vacinas e tratamentos”, destacou.

Incentivo à pesquisa
Além do anúncio dos resultados do chamamento para projetos de vacinas contra Covid-19, teve o lançamento da Chamada Universal CNPq/MCTI. O projeto incentiva pesquisas que contribuam para o desenvolvimento cientifico do país em qualquer área de conhecimento, financiando pesquisas básicas em todas as áreas de conhecimento.

O presidente do CNPQ, Evaldo Vilela, anunciou que a novidade deste ano é o aumento nos investimentos no chamamento público universal. “A chamada deste ano vem acrescida de R$ 50 milhões, então, os tradicionais R$ 200 milhões viram agora R$ 250 milhões. Isso alcança mais, porque temos uma ciência robusta no nosso país”.

Durante o evento, também ocorreu a celebração da entrada em vigor do Marco Legal das Startups.

Últimas