Brasília Renan Calheiros inclui mais três nomes à lista de investigados da CPI

Renan Calheiros inclui mais três nomes à lista de investigados da CPI

Ex-diretor preso pela Comissão e dois empresários farão parte da lista que já conta com dois ex-ministros 

  • Brasília | Isabella Macedo, do R7, em Brasília

Relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Jefferson Rudy/Agência Senado - 19.08.2021

O relator da CPI da Pandemia, senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou, na manhã desta quarta-feira (25), que incluirá três novos nomes à lista de investigados pela comissão. Roberto Dias, ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde, Francisco Maximiano, sócio-administrador da Precisa Medicamentos, e Emanuel Catori, sócio da Belcher Medicamentos, passarão à condição de investigados pela comissão.

Dias chegou a ser preso em flagrante por algumas horas na Polícia Legislativa do Senado após o seu depoimento, em 29 de junho, sob a acusação de falso testemunho. Na semana passada, entretanto, a Justiça Federal de Brasília anulou a prisão do ex-diretor do Ministério e determinou a devolução da fiança paga.

Maximiano, por sua vez, já era um dos principais alvos da comissão, mas ainda não estava na lista dos formalmente investigados. O depoimento do empresário, prestado no último dia 18, chegou a ser adiado quatro vezes por causa das constantes viagens à Índia, interpretadas por senadores como uma maneira de tentar evitar falar à CPI. A Precisa foi representante da Bharat durante a negociação da vacina indiana Covaxin.

Emanuel Catori depôs nesta terça-feira (24) e admitiu que a reunião da qual participou no Ministério da Saúde, em abril, foi marcada pelo deputado e líder do governo, Ricardo Barros (PP-PR). A empresa da qual Catori é sócio, a Belcher Farmacêutica, tentou negociar a vacina Covidencia, produzida pelo laboratório chinês CanSino. Barros também está na lista de investigados pela CPI.

Integram a lista do relator, ainda, os ex-ministros Eduardo Pazuello e Ernesto Araújo, o ex-secretário-executivo da Saúde Elcio Franco, o empresário Carlos Wizard, entre outros.

Últimas