Brasília Saiba quem é o empresário de Goiás preso pela Polícia Federal na Operação Lesa Pátria 

Saiba quem é o empresário de Goiás preso pela Polícia Federal na Operação Lesa Pátria 

Preso nesta sexta-feira (3), Mário Furacão foi presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Rio Verde por oito anos

  • Brasília | Sarah Paes, do R7, em Brasília

Lucimário Camargo, conhecido como Mário Furacão, no acampamento em frente ao QG do Exército, em Brasília

Lucimário Camargo, conhecido como Mário Furacão, no acampamento em frente ao QG do Exército, em Brasília

Reprodução/Facebook

A Polícia Federal prendeu na manhã desta sexta-feira (3) o empresário Lucimário Benedito Camargo, conhecido como Mário Furacão. A prisão foi parte da quarta fase da Operação Lesa Pátria, que investiga suspeitos de participar, financiar ou fomentar os atos de vandalismo ocorridos em 8 de janeiro, em Brasília (DF).

Nas redes sociais, Lucimário informa que é o empresário responsável pela Furacão Produtos Profissionais, uma loja de produtos e serviços de limpeza. Formado em teologia, ele também já foi executivo de vendas. Em seu perfil pessoal e no da empresa compartilhava conteúdos contestando o resultado das eleições presidenciais de 2022. Lucimário presidiu por oito anos a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Rio Verde (GO).

Um dia antes dos atos de vandalismo nas sedes dos Três Poderes, o empresário publicou nas redes sociais um vídeo em que participa de uma ação no acampamento em frente ao Quartel General do Exército. Durante a invasão no domingo, 8 de janeiro, ele gravou outro vídeo de dentro do Palácio do Planalto.

“O poder emana do povo. O povo não vai sair e não vai deixar ladrão governar o país, nem narcotraficante e nem comunista”, afirmou o empresário na publicação feita nas redes sociais. O advogado de Lucimário, Rafael Guimarães, informou à reportagem que não vai se manifestar até ter acesso aos autos do processo.

Ao R7, a CDL informou que ainda não pretende se pronunciar já que Lucimário renunciou do cargo de presidente da entidade em dezembro e, em seguida, foi afastado da diretoria. “O Furacão é ex-presidente. Hoje ele não faz parte da diretoria, pelo fato de ter renunciado. A última vez em que ele esteve conosco foi no dia 6 de janeiro, antes dos acontecimentos em Brasília. No entanto, a diretoria deve se reunir hoje para confirmar se vai realizar alguma próxima ação ou pronunciamento. Nesse momento a CDL não vai emitir nota sobre o fato”, afirmou a assessoria da Câmara.

Operação Lesa Pátria

Nesta sexta-feira (3), a Polícia Federal informou que estão sendo cumpridos três mandados de prisão preventiva e 14 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Supremo Tribunal, na quarta fase da Operação Lesa Pátria. Os estados de Rondônia, Goiás, Espírito Santo, São Paulo, Mato Grosso e Distrito Federal foram os alvos das investigações que continuam em curso.

Últimas