Brasília 'Sem chão', diz filho de idosa intoxicada em incêndio no DF; ela segue em coma 

'Sem chão', diz filho de idosa intoxicada em incêndio no DF; ela segue em coma 

Solange Bento sofreu quatro paradas cardíacas e não responde aos estímulos sensoriais; médicos avaliam possível morte cerebral

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Solange Bento, vítima de incêndio

Solange Bento, vítima de incêndio

Reprodução

Solange Bento, 63 anos, que inalou a fumaça de um grave incêndio que atingiu um prédio na Asa Norte, em Brasília, na última segunda-feira (5), está em coma. Ela está internada no Hospital Regional de Samambaia (DF) e os médicos avaliam a possibilidade de ela ter tido morte cerebral. Solange trabalha em um colégio perto de casa, na quadra ao lado.

O filho de Solange, Weslley Bento, acompanha a evolução do quadro de saúde da mãe. "Não sei o que vou fazer, as próximas atitudes que devo tomar. Estou sem chão." Segundo ele, Solange tem sido submetida a testes sensoriais para avaliar as reações.

Contudo, não respondeu aos estímulos. "Ela sofreu uma lesão importante no cérebro por conta das quatro paradas respiratórias", diz Weslley. "Os outros órgãos estão funcionando normalmente, o coraçãozinho está batendo, o sangue está circulando pelo corpo, o sistema renal está funcionando", acrescentou.

Incidente

Na noite desta segunda (5), o Corpo de Bombeiros foi acionado para controlar um incêndio que começou no subsolo de uma tapeçaria em um prédio na quadra 714 Norte. Quando chegaram ao local, os militares encontraram o edifício em chamas, tomado pela fumaça.

Com isso, deram início às buscas por moradores e liberação do imóvel. Em um dos apartamentos do primeiro andar, eles bateram na porta e não tiveram resposta. Desse modo, foi preciso forçar a entrada. Dentro da residência estava Solange, desacordada e em parada cardíaca, e intoxicada pela fumaça.

Ela foi retirada do apartamento, e os bombeiros deram início às manobras de reanimação. Após 50 minutos do procedimento, eles conseguiram restabelecer os sinais vitais dela, que foi transportada ainda inconsciente para o Hospital Regional da Asa Norte (Hran).

Em um imóvel vizinho, estavam mais três mulheres, um homem e dois cachorros, que foram salvos pela janela. A 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte) apura o caso, já que o fogo pode ter sido deflagrado por um curto-circuito na fiação do fosso de ventilação. 

Últimas