Eleições 2022

Brasília Sergio Moro vira réu em ação por suposto prejuízo na Lava Jato

Sergio Moro vira réu em ação por suposto prejuízo na Lava Jato

Justiça do DF aceitou pedido segundo o qual a atuação do ex-juiz na operação teria causado prejuízo de R$ 142,6 bilhões à economia

  • Brasília | Hellen Leite, do R7, em Brasília

Ex-juiz é acusado pelo PT de causar prejuízos aos cofres públicos no comando da Lava Jato

Ex-juiz é acusado pelo PT de causar prejuízos aos cofres públicos no comando da Lava Jato

Isaac Amorim/MJ

A Justiça do Distrito Federal aceitou o pedido do PT para tornar o ex-juiz Sergio Moro (União Brasil) réu em uma ação popular que pede ressarcimento por possíveis danos causados pela atuação do ex-magistrado na Operação Lava Jato. Moro deve apresentar a defesa inicial nos próximos dias.

O PT alega que a atuação do juiz no caso provocou "prejuízo de R$ 142,6 bilhões à economia e a perda de 4,4 milhões de empregos". A denúncia também aponta irregularidade na interceptação de conversas telefônicas de advogados e questiona a condução coercitiva do ex-presidente Lula, em 4 de março de 2016.

Nas redes sociais, o deputado Rui Falcão (PT-SP), um dos coordenadores da campanha de Lula à Presidência, comemorou a decisão assinada pelo juiz federal Charles Renaud Frazão. "Grande vitória! Moro, juiz venal e agora réu, vai ter que se explicar pelos prejuízos que causou ao povo brasileiro", postou. Também assinam a ação os parlamentares Erika Kokay (DF), José Guimarães (CE), Natália Bonavides (RN) e Paulo Pimenta (RS).

Leia também: 'Sergio Moro: além de traíra, mentiroso', diz Bolsonaro

Em nota, Moro minimizou a ação popular do PT e disse que se defenderá assim que notificado pela Justiça. "Todo mundo sabe que o que prejudica a economia é a corrupção, e não o combate a ela. A inversão de valores é completa", disse. "Em 2022, o PT quer, como disse Geraldo Alckmin, não só voltar à cena do crime, mas também culpar aqueles que se opuseram aos esquemas de corrupção da era petista.”

Domicílio eleitoral

Moro também é alvo do PT em outra ação, que contesta o domicílio eleitoral do ex-juiz. Nesta segunda-feira (23), a Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo opinou pela legalidade da mudança de domicílio eleitoral do ex-magistrado. Segundo o órgão, o ex-magistrado comprovou não apenas ter um endereço na capital paulista, como ter laços afetivos com a cidade.

A ação movida pelo PT questionava a transferência de domicílio de Moro, alegando que “não possui vínculos com o estado de São Paulo, tampouco com a cidade de São Paulo, a fundamentar o pedido de transferência”.

“Fico feliz pela análise técnica realizada pelo Ministério Público Eleitoral. Foi desmascarada a manobra eleitoral do PT que me teme como candidato em São Paulo”, disse Moro. Apesar da manifestação, a ação ainda será julgada pelo Tribunal Regional Eleitoral de SP.

Últimas