Brasília Seringas de vacina contra covid são descartadas em calçada do DF

Seringas de vacina contra covid são descartadas em calçada do DF

Área fica em frente a ginásio de Sobradinho, onde passam pedestres; material hospitalar deve ter descarte adequado

  • Brasília | Lucas Nanini, do R7, e Carolina Rabelo, da Record TV

Seringas possivelmente utilizadas para a vacinação contra Covid-19 estão sendo jogadas em uma área em frente ao Ginásio de Esportes de Sobradinho I, na quadra 2 da região, no Distrito Federal. O local onde está o material fica a poucos metros de onde se forma a fila para a imunização.

Quem passa pela calçada pode ver as seringas em caixas de descarte e até mesmo no chão. As imagens mostram que os objetos estão dispostos ao lado de sacos de lixo comum (veja vídeo acima).

Seringas descartadas ao lado de lixo comum em frente ao Ginásio de Sobradinho I

Seringas descartadas ao lado de lixo comum em frente ao Ginásio de Sobradinho I

Carolina Rabelo/Record TV

Os moradores reclamam dos riscos que correm com o descarte ali, em local aberto e de forma irregular, podendo levar a uma contaminação ou infecção. Eles também se queixam de que os dejetos do tipo hospitalar deveriam ser descartados de modo separado do lixo comum.

“Presenciei esse material solto na rua, de fácil acesso, para qualquer pessoa, para crianças e animais. Pode trazer prejuízos para todos” afirma o militar Eduardo Wallet.

Ele diz temer que uma seringa descartada de forma irregular possa ocasionar o contágio de uma doença infecciosa, como a hepatite. Wallet declarou que fará uma denúncia sobre o caso à Ouvidoria da Secretaria de Saúde.

Procurada pelo R7, a Secretaria de Saúde disse que as seringas foram retiradas do local ainda pela manhã e que “o fato será rigorosamente apurado”. A pasta informou que está ouvindo os responsáveis pelo posto de vacinação para identificar quem descartou o material de forma indevida.

“A Diraps (Diretor Regional de Atenção Primária à Saúde) esclarece que seringas utilizadas são armazenadas em caixas que são lacradas e recolhidas diariamente pela equipe do Hospital Regional de Sobradinho, responsável pelo descarte de material infectante”, afirmou a secretaria.

Últimas