Brasília Vídeo: polícia prende três suspeitos de matar idoso na porta de banco

Vídeo: polícia prende três suspeitos de matar idoso na porta de banco

O crime ocorreu em 16 de agosto, em Ceilândia. A vítima foi rendida fora da agência, antes de realizar um depósito

  • Brasília | Bruna Lima, do R7, em Brasília

O latrocínio aconteceu em Ceilândia, em 16 de agosto

O latrocínio aconteceu em Ceilândia, em 16 de agosto

PCDF/Reprodução

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu, neste domingo (3), três suspeitos de tentar roubar um idoso e matá-lo em frente a uma agência bancária na QNN 1 de Ceilândia. O latrocínio aconteceu em 16 de agosto e a vítima morreu dois dias depois.

Segundo a Coordenação de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Corpatri), responsável pelas investigações, a vítima trabalhava em uma empresa no Setor de Indústrias e Abastecimento (SIA) e era responsável por fazer depósitos semanais para a empresa.

No dia do crime, o idoso seguiu com uma mochila contendo dinheiro até o local e foi surpreendido por um dos autores, que efetuou vários tiros. Quatro atingiram o homem, que chegou a ser socorrido consciente e levado ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC), mas morreu dois dias depois.

"As investigações apontaram que a vítima foi morta tão somente porque segurou a mochila e não quis entregá-la aos criminosos", explicou o diretor da Corpatri, delegado Fernando Cocito.  O atirador ainda queria roubar a mochila, mas desistiu e voltou correndo para o carro que o aguardava metros à frente, para dar fuga.

O veículo, roubado e revendido, foi localizado em um matagal do Sol Nascente e passou por perícia. Os criminosos tentaram atear fogo no carro.

Os três suspeitos foram presos temporariamente. O autor dos disparos foi encontrado na própria residência, no Gama. Já os outros dois envolvidos, um que deu fuga ao atirador e o outro que arquitetou o crime, foram interceptados pelos investigadores na BR-060, próximo a Samambaia, com auxílio da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Além do crime de latrocínio, que pode ocasionar em pena de 30 anos, os suspeitos pode responder por associação criminosa armada. "A investigação também apontou que os criminosos pretendiam arrebatar um preso da carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE). O plano foi descoberto, o preso foi retirado e transferido para o Complexo da Papuda", acrescentou o delegado Cocito.

Últimas