Diário Digital Idosa procura a polícia após perceber que caiu no “golpe do motoboy”

Idosa procura a polícia após perceber que caiu no “golpe do motoboy”

Uma mulher de 66 anos procurou a sua agência bancária, na rua Treze de Junho, em Corumbá, e depois a Polícia Civil após perceber ter caído em um golpe, conhecido como “golpe do motoboy”. No boletim de ocorrência ela relatou que estava em sua casa, no bairro Aeroporto, quando recebeu uma ligação e uma pessoa […] O post Idosa procura a polícia após perceber que caiu no “golpe do motoboy” apareceu primeiro em Diário Digital.

Uma mulher de 66 anos procurou a sua agência bancária, na rua Treze de Junho, em Corumbá, e depois a Polícia Civil após perceber ter caído em um golpe, conhecido como “golpe do motoboy”. No boletim de ocorrência ela relatou que estava em sua casa, no bairro Aeroporto, quando recebeu uma ligação e uma pessoa que se apresentou como funcionária do banco.

Durante a conversa, a mulher disse que o cartão de crédito dela havia sido clonado e que precisaria ser recolhido, para ressarci-la de eventual gasto indevido. A golpista que se passava por funcionária da agência disse que outro funcionário iria à casa da idosa, recolher o cartão.

Alguns minutos depois, um homem branco, alto, que estaria usando camisa da agência bancária e crachá, chegou à residência. Após entregar o cartão e se passar alguns minutos, a idosa percebeu que caiu num golpe e, então, procurou o banco e a Polícia Civil para denunciar o golpe.

Na agência, ela conseguiu cancelar o cartão e, por agir rapidamente, não teve prejuízos em sua conta. Na Polícia Civil, o caso foi registrado como estelionato na forma tentada.

Golpe do motoboy

Nas redes sociais da instituição financeira, há alerta aos clientes sobre os serviços prestados e também os inúmeros golpes praticados pelos estelionatários, que se utilizam muitas vezes da inocência dos clientes, para cometerem esses golpes, já conhecidos na praça.

Sobre o golpe do motoboy, o banco alerta que em muitos casos, além de solicitar os cartões, os falsos trabalhadores também pedem para que os clientes cortem os cartões sem danificar o chip ou até mesmo digitar a senha utilizada nos terminais por telefone. Logo em seguida, avisam que uma pessoa, que atua na instituição financeira vai encontrar a vítima para recolher os cartões.

O banco ainda alerta que nunca manda ninguém recolher cartões ou solicita senhas para os clientes e que em casos como esses, a pessoa deve desligar, pois se trata de um golpe.

(Com informações: Diário Corumbaense)

O post Idosa procura a polícia após perceber que caiu no “golpe do motoboy” apareceu primeiro em Diário Digital.

Últimas